quinta-feira, julho 31, 2008

Com um brilhozinho nos olhos

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA


Com um brilhozinho nos olhos
e a saia rodada
escancaraste a porta do bar
trazias o cabelo aos ombros
passeando de cá para lá
como as ondas do mar.
Conheço tão bem esses olhos
e nunca me enganam,
o que é que aconteceu, diz lá
é que hoje fiz um amigo
e coisa mais preciosa
no mundo não há.

Com um brilhozinho nos olhos
metemos o carro
muito à frente, muito à frente dos bois
ou seja, fizemos promessas
trocamos retratos
trocamos projectos os dois
trocamos de roupa, trocamos de corpo,
trocamos de beijos, tão bom, é tão bom
e com um brilhozinho nos olhos
tocamos guitarra
p'lo menos a julgar pelo som

E que é que foi que ele disse?
E que é que foi que ele disse?
Hoje soube-me a pouco. [x4]
passa aí mais um bocadinho
que estou quase a ficar louco
Hoje soube-me a tanto [x4]
portanto,
Hoje soube-me a pouco

Com um brilhozinho nos olhos
corremos os estores
pusemos a rádio no "on"
acendemos a já costumeira
velinha de igreja
pusemos no "off" o telefone
e olha, não dá p'ra contar
mas sei que tu sabes
daquilo que sabes que eu sei
e com um brilhozinho nos olhos
ficamos parados
depois do que não te contei

Com um brilhozinho nos olhos
dissemos, sei lá
o que nos passou pela tola [o que nos passou pelo goto]
do estilo és o "number one"
dou-te vinte valores
és um treze no totobola [és o seis do meu totoloto]
e às duas por três
bebemos um copo
fizemos o quatro e pintámos o sete
e com um brilhozinho nos olhos
ficamos imóveis
a dar uma de "tête a tête"

E que é que foi que ele disse?
...

E com um brilhozinho nos olhos
tentamos saber
para lá do que muito se amou
quem éramos nós
quem queríamos ser
e quais as esperanças
que a vida roubou
e olhei-o de longe
e mirei-o de perto
que quem não vê caras
não vê corações
com um brilhozinho nos olhos
guardei um amigo
que é coisa que vale milhões.

E que é que foi que ele disse?
...

sexta-feira, julho 25, 2008

Não tenho título para este post. Paciência


Leio um blogue* e penso que a autora tem a minha cara. Se não a conhece-se eu, pessoalmente e há muitos anos, diria que era a minha alma gémea perdida, não nas ondas do éter, mas nas teias da rede. E que estranho é, que só há tão pouco tempo tenha dado por isso. Eu mudei? Ela mudou? Por acaso até acho que no essencial, nenhum de nós mudou. Apenas crescemos. A música, os livros, os amigos, uma mente inquieta e cheia de sonhos, umas mãos de fada, enfim…

Que pena tenho que só se possa viver uma vez.
Que pena tenho que não se possa viver em paralelo.




Depois… Depois, ponho-me a pensar e pergunto:

Estaremos melhor com alguém que é parecido connosco ou com alguém diferente?

E acabo por achar que o ponto em comum, o ponto de ligação entre duas pessoas pode estar nas suas diferenças e não nas suas semelhanças, mas tenho dúvidas. E às vezes, quando me vou abaixo sinto-me só, isolado nessas diferenças.

O que vale é que a maior parte do tempo ando distraído e a vida sabe-me bem.

*Nem vale a pena perguntar pelo blogue que eu não digo qual é. Escusam de procurar que não anda por aqui ao lado. :)

terça-feira, julho 22, 2008

Estou cansado


Estou cansado do calor deste campo, do tempo seco deste campo, do pó deste campo, das palhas deste campo que se enfiam nas meias, das pessoas feias deste campo, das pessoas desinteressantes deste campo, da presunção, da desconfiança e da má educação das gentes deste campo, da solidão deste campo, da transparência que pareço ter neste campo, do trabalho neste campo…

Com esta idade já não é fácil mudar de emprego. Percebi isso aos 35. Mas ninguém me impede de criar o meu próprio trabalho.

Entre o campo e a cidade, num vale abrigado e húmido, verde, muito verde. Com uma estufa de plástico e uma de sombra. Com fontes de rega em cascata a correr um pouco por todo o lado. E uma casinha de madeira a fazer de escritório. Um sitio bem frequentado. Eu compro e crio e se estiver contente e feliz vendo e vendo bem. Porque gosto do que vendo, porque conheço bem o que vendo e porque acredito no que vendo e porque sei sorrir e quando o faço, faço-o com sinceridade e se for uma mulher sou capaz de a fazer derreter. :) só com um sorriso, alguém acredita? Modéstia à parte, of course.

Agora em primeira mão

Acordei no sofá, já perto da meia-noite, hora de rumar à cama e lá estava ela no MCM Pop. Bom ritmo, bom som, excelente voz, melhor interpretação. A prova de que a música africana ou de inspiração africana não tem ser só hip-hop ou rap, ou lá o que isso é, que para mim nem música é. Isto sim. Muito bom.

Asa - Jailer

segunda-feira, julho 21, 2008

Reposição,...

...agora devidamente ilustrada, de um post de 25 de Outubro de 2007.

Caprichos
Numa rara noite de folga conjugal, assumo finalmente o controlo dos comandos à distância e consigo, tão incoerentemente, ler a Relíquia de Eça de Queirós e ver e ouvir um DVD dos U2 (Go Home – Live from Slane Castle – Ireland). Um DVD que inclui a mais maravilhosa e emocionante (até põe os cabelitos em pé :-)) passagem entre músicas. “All I want is you” e “Where the streets have no name”. Indescritível.


Pena que o yotube não tenha ido um pouco mais atrás na música "All I want is You" para captar toda a magia da passagem de que falo, mas de qualquer forma, grande parte dela está lá.

sexta-feira, julho 18, 2008

Pode até ser longe...


Posso até não ter mais forças,
mas este fim-de-semana, eu vou à praia.
Vou à procura de uns simples 24 graus no ar,
vou à procura de um passeio à beira-mar,
de um mergulho, em 17 graus de água salgada,
de uma sesta na areia,
de uma paisagem variada e colorida.

quinta-feira, julho 17, 2008

Ensaios inacabados sobre um tema comum

Não entendo este meu desejo quase obsessivo por todas as mulheres jovens e bonitas.
Não entendo esta minha inveja por já não poder entrar no mundo delas, não entendo por que razão não envelheço como queria, com paz, serenidade segurança e confiança em mim próprio. Envelhecer com a certeza de que se fez tudo o que havia para fazer e que agora chega a altura de fazer coisas diferentes. Ter a certeza que, não fico tão preocupado com o passado ou com as gerações que agora passam pela juventude, e que vivo descontraidamente a minha meia-idade.

Uma das coisas que me atormenta é pensar se vou ser capaz de envelhecer com dignidade. Já tenho reparado em homens de meia-idade completamente “rebarbados” a fazerem as mais tristes figuras perante a possibilidade de dar umas mordidelas numa moça nova e pior, velhos totalmente babados e “rebarbados” por algo que seja uma mulher e que mexa.

Não sei se já alguma vez aqui disse isto, mas para mim, o desejo sexual num homem teria de se extinguir à medida que se extingue a capacidade física para o praticar. Isto porque me parece uma frustração tremendamente violenta ter um desejo e não ser capaz de o realizar, isto naquilo que é dos instintos mais básicos num ser humano.

Já tenho quase 40 e às vezes dou por mim a olhar para as moças novas e a pensar que nunca mais vou tocar num corpinho assim e que os anos passaram e se calhar não aproveitei tudo o que poderia ter aproveitado.

O que eu desejo para mim próprio é que seja capaz de, sempre dar valor àquilo que tenho, em todo e qualquer momento, recordar com alegria e satisfação tudo o que tive e por que passei, mas confesso, está difícil. Envelhecer não é fácil

Continuo a considerar que a adolescência (14-26 anos) o período mais feliz da minha vida, embora na altura não tivesse essa percepção. A vida pela vida, sem grandes compromissos ou responsabilidades. Cumprir o mínimo nos estudos e curtir a vida tanto quanto podia ou tanto quanto o pouquito dinheirito que tinha me permitia. Agora olho para trás com nostalgia, mas não devo ser o único.

quarta-feira, julho 16, 2008

Meu Brasil, ai ai...


Desculpem se vos faço muita inveja, mas esta é a minha compensação de não ter filhos. Chapa ganha, chapa gasta. Digo sempre às minhas sobrinhas para não contarem com a minha herança.:)) E assim, este ano, as minhas férias são no Brasil, outra vez… 15 dias. Mal posso esperar. Já só penso em samba, chuva tropical, caipirinhas, praias sem fim e claro, mulatinhas, só para ver, que vou acompanhado. :)) Até lá ainda vou ter que dar o litro, esta e mais duas semanas. Bora lá que falta pouco!

segunda-feira, julho 14, 2008

Como não gostar?

Não falo da música. Dessa nem gosto assim tanto. Não faz o meu género. Mas esta mulher tira-me do sério. transpira feminilidade e sensualidade por todos os poros. E ela sabe disso e sabe também como mostrar. Linda, rijinha... Dúvido que alguém lhe fique indiferente. Até as mulheres. Como é possível alguém ficar?

terça-feira, julho 08, 2008

Emoções


Costumo ter todos os sintomas e dores, das doenças, das pessoas de quem gosto. A minha Mãe dizia que se um dia tivesse filhos teria igualmente as dores de parto. :) Se calhar, até seria verdade.
Acho que acontece sempre que o tamanho do coração, supera a força da cabeça.

A minha laranja

Imaginemos que eu sou como uma laranja, constituído por gomos muito juntinhos dentro de uma casca. Cada um dos gomos representa um estado...