segunda-feira, dezembro 31, 2007

Até p'ró ano!


Estou farto de desejar, para mim próprio, que o próximo ano seja, se não melhor, pelo menos igual ao anterior. Os anos têm sido sempre piores. Uns atrás dos outros. Este foi tão mau que nem me atrevo hoje, a desejar um igual, por isso vou pedir um bocadito mais.

E assim como desejo para mim, desejo a todos os meus cyber amigos um ano de 2008 cheio de coisas boas, e que as más, que aparecem sempre sejam poucas e muito pequeninas.

sexta-feira, dezembro 21, 2007

Bom Natal

Esta semana o escritório foi só meu.
Cotonete no “prego”! Desta vez o canal é o “Nacional – Pop/Rock 80’s”. Muito GNR, Rui Veloso, Mler Ife Dada, Pop Dell’ Arte, Salada de Frutas, Ban, Heróis do Mar, Sétima Legião, Xutos e até a Manuela Moura Guedes. Bons tempos. Boa música.

Para a semana não estou cá.
Quase de férias, trabalho em dia, consciência tranquila, compras feitas, preparo-me para um natal prolongado. Como dizia o outro, vou andar por aí e pouco por aqui.

Beijos e/ou abraços e bom Natal.

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Auto-estima em cima

Estou a ficar velho, maduro e a perder o medo. Fisicamente a idade ainda não me trouxe desgostos. Até acho, que os quilitos a mais que agora tenho, me deram algum charme. Sinto-me mais solto. Sou capaz de falar com mulheres, de me expor. Já não me escondo tanto e ganho com isso. Finalmente encontrei quem me corte o cabelo como eu gosto e pouquinho de cada vez e isso dá-me confiança. Os óculos que mandei às malvas já não escondem os meus olhos que agora se fixam noutros. E como pode ser desconcertante prender um olhar noutro. Se me provocam respondo. Começo e termino uma conversa sem atrapalhações e reconheço quando causo boa impressão. Chego a ficar admirado com as palavras que me saem num discurso fluido e inteligente.

Estou-me a preparar. Já me disseram que depois dos 40 estamos no “ponto” e que aí é que elas caem que nem ginjas. :-)

Agradeço a quem diariamente trabalha em mim, mesmo que não perceba que o faz. Agradeço à pessoa responsável por esta minha nova atitude, sei que lhe devo muito. Espero nunca esquecer. Espero saber reconhecer sempre que isso, é muito mais importante, que as restantes banalidades do dia-a-dia.

terça-feira, dezembro 18, 2007

Que lindo dia de nuvens!

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Tenho dito!


Se há coisa que me deixa passado é ver o mundo feminino sonhar com homens carinhosos, atenciosos, sensíveis, etc, etc, bons pais, bons maridos e depois quando escolhem, agarrarem-se aos brutos, feios, porcos e maus. E não venham para aqui dizer que não é nada disso, que eu sei que é. Já cá ando há 37 anos, já vi e continuo a ver muita coisa e portanto já não me enganam. Andei muito tempo enganado, andei. Maldita ingenuidade!

Prendas

Neste fim-de-semana fui a um jantar de natal de amigos. Tínhamos de levar prendas, muito baratas, para distribuir aleatoriamente. Farto de receber prendas femininas em anos anteriores, lembrei-me de criar uma masculina, mas que aparentemente, teria os dois sexos em atenção. Assim, arranjei duas caixas de sapatos, uma para homem, outra para mulher. Na do homem coloquei uma revista “Maxmen”, preservativos, uma cerveja mini e um pacote de amendoins com casca. Na da mulher pus uma revista “Mulher Moderna na Cozinha”, um avental, uma cuequinha muito sexy, made in china e um rolo da massa.

Embrulhei as duas caixas numa outra maior com um envelope com o seguinte texto:


Este é o verdadeiro Kit
“Momentos de Prazer”
By Pai Natal


Uma prenda unissexo, melhor, bissexo, isto é, mista, quer dizer, dá para os dois lados. Bem, como queiram.

Neste pacote vai encontrar duas prendas. Uma delas é a prenda dos seus sonhos, seja homem ou seja mulher. Escolha a sua.

Se for homem pode estar certo de que acertei na prenda. Sou o Pai Natal, também sou homem e sou muito macho. Conheço os seus gostos. Basta olhar para a minha estupenda barriguinha para perceber que nos deleitamos com os mesmos tipos de prazeres.

Se for mulher, lamento, mas não tenho tanta certeza de ter acertado, mas acredite, gosto muito do que lhe ofereço. Sei que vai fazer alguém muito feliz.


Depois na caixa do homem vinham as seguintes instruções:


Parabéns!

Se esta foi a primeira prenda que abriu é sinal de que é homem, e portanto para si, estas prendinhas são de utilidade óbvia. Não tenho mais nada a acrescentar.

Se por outro lado esta foi a segunda prenda que abriu, ofereça estes simples objectos ao seu parceiro. Pode ser que, com a alegria que ele vai ter, você ganhe alguma coisa em troca. Quem sabe, não é?


Na caixa da mulher o que se segue:


Parabéns!


Se esta foi a primeira prenda que abriu é sinal de que é mulher. Não se assuste. Eu não sou o sacana do velho gordo que está a pensar. À primeira vista, poderá parecer que são objectos sem qualquer utilidade, mas eu passo a explicar detalhadamente. Tenho a certeza de que vai acabar por concordar comigo. Vejamos:
· Nada melhor para uma mulher do que ter um homem pelo beicinho, pronto a fazer tudo por si, verdade?
· Então do que está à espera? Realize-lhe uma das fantasias preferidas. Este kit fornece-lhe tudo. Já percebeu ou devo continuar a explicar? Ok, eu continuo. Pegue no kit masculino, que acompanha o seu e instale o seu marido, namorado, companheiro na sala a ler (ver) a Maxmen, sirva-lhe a mini e encha-lhe um pires com os amendoins (dizem que são um estimulante). Corra para a cozinha e vista essa cuequinha sexy e o avental. Não precisa vestir mais nada. Pegue na revistinha “Mulher Moderna na Cozinha” (só o nome diz quase tudo), escolha uma receita simples, só para dar um cheirinho, afinal se tudo correr bem ninguém a vai provar. Não tardará muito ele estará na cozinha à procura de outra mini e quando deparar consigo…

Pode ter a certeza, neste Natal, o seu marido, namorado, companheiro, vai estar aos seus pés. Queria melhor?

P.S. O rolo da massa se não servir para o jantar, pode ser-lhe muito útil para a pouco provável eventualidade de ele não lhe ligar nenhuma. Aproveite o rolo e corra com ele. Não a merece.

Se por outro lado esta foi a segunda prenda que abriu, cuidado! Não caia na tentação de encaminhar estas magníficas prendas à sua cara metade. Ela pode não entender as suas caridosas intenções e um rolo da massa, se bem aplicado, pode causar sérios danos no seu escalpe. Livre-se delas o quanto antes.

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Uma outra forma de dizer, não se cheguem a mim que eu estou com um mau feitio terrível.


Estou num daqueles dias em que me parece que o mundo inteiro gira ao contrário e que eu sou o único a andar na direcção certa. Deve ser consequência de uma desfavorável conjugação dos astros. Mas passa. Estou certo que passa.

quarta-feira, dezembro 12, 2007

Pai Natal

Hoje fui Pai Natal o dia todo. Calha-me sempre a mim comprar as prendas para a filharada dos colegas aqui da empresa. Logo a mim que não tenho filhos. Mas eu não me importo, passeio e lavo os olhinhos com tanta menina bonita que vejo. Agora só falta organizar a almoçarada.

quinta-feira, dezembro 06, 2007

Ao som de Neil Diamond (não é muito piroso, ou é?)

Get this widget Track details eSnips Social DNA


Sou uma pessoa discreta, talvez nem tanto na aparência, mas sim na atitude. Gosto de ser discreto.

Se perco muito no imediato, porque posso parecer insignificante, inofensivo ou mesmo invisível, ganho muito no fim. Acredito que a verdade vem sempre à tona e quem tem valor acaba sempre por ser premiado com reconhecimento.

Se nas coisas do amor, isso nem sempre foi verdadeiro, (o amor é totalmente irracional), nas questões profissionais, não me tenho dado mal.

Quem ri por último ri melhor e eu ,tenho rido bastante. Mas foi preciso chorar muito.

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Machista, eu?!


E para quem acha que sou machista, vejam como fui capaz de pôr esta beleza, novinha em folha, a trabalhar. Coloquei o liquido no sitio do pó, mas lavou à mesma.

Dona Flor e Seus Dois Maridos

Este não vi, mas gostava...
O livro, sim, li. Fiquei fã do Vadinho. A irracional atracção pela loucura.
Feliz ou infelizmente, acho que estou mais próximo, do segundo marido, o amigo farmacêutico . Mas não pensem que é tal e qual. Eu toco clarinete e o senhor Teodoro Madureira toca fagote. :-)

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Por que, num mundo de aparências, nem tudo o que parece é.

Que bom que é descobrir numa pessoa tímida e discreta muito mais do que se espera, muito mais do que se encontra, naqueles que anunciam, o que afinal não têm.

Sim, é 2ª- feira mas, desta vez, está tudo calmo

Hoje estou por aqui sozinho.
Cotonete em Bossa Nova, por toda sala.
Assim a segunda-feira custa menos.
Muito menos.

sexta-feira, novembro 30, 2007

Filmes da minha vida - "Oficial e Cavalheiro"



Andei sempre mais depressa nos filmes do que na vida real. Ainda nem tinha dado sequer um simples beijito nos lábios* de nenhuma moça e já estava a ver este filme, com as cenas de sexo mais explícitas que eu já alguma vez tinha visto. Fiquei fascinado. Achei-me muito adulto, orgulhoso por já poder ver aquilo. Mas não foi só por causa dessas cenas que o filme me marcou. Marcou-me porque este, era o filme mais adulto que eu já alguma vez tinha visto e isso tornava-me mais homem, mais maduro. Eu já tinha visto o “Oficial e Cavalheiro”.

Nesta altura, por motivos que não interessam aqui, tinha uma entrada por semana grátis, num cinema perto de casa, e pelos mesmos motivos podia ver filmes para qualquer idade. Se um filme estivesse no cinema 6 semanas eu podia ver o filme 6 vezes. Foi o que aconteceu com este filme “Oficial e Cavalheiro”. Bati todos os recordes. Durante muito tempo foi o meu filme preferido. Talvez durante todo o tempo em que tudo aquilo era muito distante para mim, se calhar até, eu próprio viver aquele tipo de emoções. E que emoções.

*(existe uma palavrita que define isto, mas não sei como se escreve, alguém sabe?)

Não sei se me faço entender

Não sou muito exigente no que se refere aos trabalhos domésticos da minha mulher. Não sou do género de exigir jantar às tantas horas, não exijo sequer jantar, aliás já deixamos de jantar há muito tempo. Nunca pedi para me passarem alguma peça de roupa a ferro, lavo e ponho roupa a secar (pela calada da noite, claro), não arrumo muito, mas também não desarrumo.


Também nunca escolheria uma mulher, apenas pelos seus dotes de dona de casa, no entanto, se existissem duas mulheres praticamente iguais, mas apenas com a diferença de uma gostar dos trabalhitos domésticos e outra não, eu escolheria a primeira.

Isto tudo para dizer claramente, que não me importava, ou melhor, eu gostava que a minha mulher, se pudesse não perder nada do que é, fosse, além disso, uma dona de casa prendada. Gostava que assim fosse por prazer e nunca por obrigação. É por isso que não toco no assunto. Não queria que fosse um favor, queria que fosse um mimo.

Um exemplo: não queria a porcaria do jantar todos os dias, mas um bolinho ao Domingo… feito com amor…

Estou a ser muito machista??

Série "My Kind Of Girl" - A escolha Americana


Desculpem lá esta minha fixação por cantoras, mas aqui é um dos poucos sítios onde posso dizer o que me apetece e por isso digo. Depois da Brasileira, Wanessa Camargo, da Colombiana, Shakira e da Cabo-verdiana, Mayra Andrade, revelo a minha paixão Norte-americana. Maria Carey. É fácil perceber porquê, não é? Além disso, faz me lembrar uma antiga paixão, real mas não correspondida. O cabelo, o sorriso…
Gosto especialmente dos tele-discos, mesmo sem som. Para ver de olhos arregalados e queixo caído.

quinta-feira, novembro 29, 2007

Série "My Kind Of Girl"

My Kind Of Girl


She walks like an angel walks, she talks like an angel talks,
And her hair has a kind of curl, to my mind, she’s my kind of girl.
She’s wise like an angel’s wise, with eyes like an angel’s eyes,
And a smile like a kind of pearl, to my mind, she’s my kind of girl.
A pretty little face, that face just knocks me off my feet,
A pretty little feet, she’s really sweet enough to eat.
She looks like an angel looks, she cooks like an angel cooks,
And my mind in a kind of whirl, to my mind, she’s my kind of girl.(full instrumental interlude)
Hmmm, pretty little face, that face just knocks me off my feet,
Pretty little feet, she’s really sweet enough to eat.
She looks like an angel looks, and she cooks like an angel cooks,
And my mind in a kind of whirl, to my mind, she’s my kind of girl.
Yes, my poor heart’s in a whirl, she’s just my kind, she’s a girl.
And my hearts Kind-a full of joy
Because she's told me
I'm her kind of boy

quarta-feira, novembro 28, 2007

Filmes da minha vida - "La Boum - A primeira festa"

O filme “La Boum - A primeira festa” estava em exibição no velhinho Teatro Avenida de Coimbra. O meu irmão, mais velho que eu dois anos, preparava-se para ir com os amigos e eu resolvi interceder junto da minha Mãe para me colar.

O meu irmão não gostou nada da ideia e argumentou que o filme era para maiores de 13 anos e eu ainda só tinha 12. A minha Mãe não se impressionou com argumentação e mandou-me com ele. O meu irmão, muito irritado, porque não estava para me aturar e porque a ele, só o tinham deixado ver os filmes para maiores de 13, exactamente aos 13 anos, não me falou o tempo todo, do principio ao fim do filme, desde que saímos de casa até chegarmos. Lembro-me de, pelo caminho, correr atrás dos seus paços propositadamente apressados. Ele fugia de mim e eu corria atrás. Não podia perder aquela oportunidade. Não me lembro, mas já devia ter ouvido falar do filme, de tal forma foi, para a época, a minha determinação.

O filme foi fabuloso. Mostrava dois mundos que eu adivinhava para breve. As relações tempestuosas dos pais e o consequente divórcio, que no caso dos meus pais, se deu mais depressa do que eu na altura podia imaginar e as paixões fulminantes e arrebatadoras da adolescência. Essa sim, a grande novidade da vida que eu ansiava desesperadamente, achando mesmo, que já estava a começar a tardar.

Sai do filme emocionado, com um vazio na barriga do tamanho da minha expectativa da vida e de tudo o que estaria para vir. Naquele sábado fui para casa e sozinho no meu quarto fiquei deitado na cama. Não quis jantar, não quis passar o serão na sala. Acho que cheguei a chorar por achar que era o único no mundo que não vivia aquelas aventuras de adolescente. Afinal já tinha 12 anos. A vida estava a passar-me à frente e eu sem conseguir entrar. Um desespero.

Não sou capaz de descrever o filme em pormenor, mas as emoções que senti nunca mais esqueci. São assim os filmes que nos marcam.

segunda-feira, novembro 26, 2007

Sim, é 2ª- feira e eu estou com mau feitio

Está a chegar a altura das “Boas Festas” que depois dá a vez ao “Então, as festas foram boas?”. Não entendo porque é que as pessoas insistem tanto neste tipo de cumprimento. Para mim as festas são sempre boas. O que me preocupa é o antes e o depois das festas. Esses sim, são dias difíceis. Agora as festas… As festas são sempre boas, porque se não forem boas, nem sequer chegam a ser festas, são outra coisa qualquer.

Pior ainda são aqueles malucos que a um mês do Natal, já andam a distribuir boas festas por toda a gente. Foi um desses que apanhei no Sábado num supermercado perto de casa. Um parvalhão que conheço desde miúdo, que sempre foi um “cagão”, que sei que vende seguros, tem um carro enorme e ainda por cima, uma porrada de filhos se despediu de mim com um “Boas Festas”. Em Novembro? Mas até às ditas festas ainda falta um mês! Um mês de dias potencialmente maus e o gajo anda preocupado com as festas? As festas são sempre boas e até lá que não me doa muito a cabeça. Agora festas…

sexta-feira, novembro 23, 2007

Saudade da Bahia - João Gilberto

Get this widget Track details eSnips Social DNA

Ah, mas que saudade eu tenho da Bahia

(Só Deus sabe!)

Ah, se eu escutasse o que mamãe dizia

Bem, não vá deixar a sua mãe aflita

A gente faz o que o coração dita

Mas este mundo é feito de maldade e ilusão

Ah, se eu escutasse hoje eu não sofria

Ah, esta saudade dentro do meu peito

Ah, se ter saudade é ter algum defeito

Eu pelo menos mereço o direito

De ter alguém com quem eu possa me confessar

Ponha-se no meu lugar

E veja como sofre um homem infeliz

Que teve que desabafar

Dizendo a todo mundo o que ninguém diz

Veja que situa...ção

E veja como sofre um pobre coração

Pobre de quem acredita

Na glória e no dinheiro para ser feliz

quinta-feira, novembro 22, 2007

O que eu vejo


Não vejo muita televisão, mas, para além de noticiários em dose moderada e nunca da TVI, gosto de ver futebol e programas relacionados, como sejam, os magníficos debates a discussão monótona e acesa. Ninguém é perfeito.

Para além desses, há agora dois programas que vejo com prazer e são: no Discovery Channel o o Overhaulin e no People + Arts o Miami InK .

O primeiro é um programa tipo “Querido mudei a casa” mas com carros, normalmente velhos, que uma equipa de mecânicos redesenha e transforma em carros de sonho. Gosto de ver o desenho a ser feito e concretizado no carro. Sou especialmente fã da apresentadora a Adrienne Janic , “Aj” para os amigos. Uma simpatia. Gosto também de ver a reacção dos apanhados depois de levados aos limites da sua paciência.

O segundo mostra o dia-a-dia de um estúdio de tatuagens em Miami. Um grupo de tatuadores, completamente malucos, e claro, tatuados, realizam os mais diversos tipos de tatuagens aos, igualmente diversos, géneros de clientes. Acho muito interessante o facto de cada um dos clientes escolhidos, ter uma história associada à tatuagem que quer fazer e ao facto de se mostrar a construção do desenho. Sempre gostei de ver desenhar e esse é um aspecto comum aos dois programas.

Não tenho nenhuma tatuagem e nesta altura da vida já não era capaz de a fazer, mas gosto de ver nos outros. Desde que não se exagere, uma pequena tatuagem no ponto certo do corpo, pode dar um toque muito sensual a uma mulher. Eu pelo menos acho. Já num homem tenho algumas dúvidas. Já agora, e antes que me perguntem, para mim o ponto certo numa mulher é o fundinho das costas, mesmo no limite.

quarta-feira, novembro 21, 2007

Ginásio

Definitivamente, a 3ª-feira ficou para mim como o dia do ginásio.

E eu a pensar que a abertura de um ginásio feminino ia transformar o meu numa espécie de ginásio “men’s only”, enganei-me. Afinal está melhor que nunca. Muito bom ambiente. Não sou do tipo de ficar de boca aberta a olhar para as moças mas que gosto de as ver por lá, gosto. É um aspecto estético muito motivador.


Não é bem verdade que não olhe. Olho, de forma subtil, acho eu, espero eu, mas olho, claro. Tento adivinhar as profissões através da roupa ou aspecto fisico, coisa que normalmente erro redondamente, reparo se usam ou não fio dental, procuro tatuagens,…

Mas sempre muito subtilmente, sem qualquer tipo de pressão. E agora até já vejo, porque antes das lentes de contacto eu bem olhava mas não via nada.

Por lá andava a moça de que falei há dias e entendi a razão da sua boa forma física. Quando entrei ,ela já lá andava e quando saí, lá continuava. Ainda por cima, numa ocasião em que utilizei um aparelho a seguir a ela, tive de reduzir os pesos.

Encontrei também, uma outra moça, que sei, trabalha numa agência de viagens perto de minha casa, e que, embora um pouco rechonchudita, tem um sorriso lindo e uns magníficos olhos azuis. Aliás, já numa outra ocasião, num breve trocar de olhar, entre dois aparelhos de ginástica, senti uma estranha sensação. Fiquei convencido que seria aquilo a que chamam química, embora parecesse físico, tão forte foi. Só não sei se ela também sentiu.

Falta escolher o 2º dia. A sexta sei que não é.

terça-feira, novembro 20, 2007

Céu de Santo Amaro

Get this widget Track details eSnips Social DNA

Céu de Santo Amaro - Flávio Venturini / Sebastian Bach

Porque é que não vi?

Só agora entendo o que passou. Lamento só agora saber. Lamento não ter sabido ajudar quando precisou. Afinal, nem sempre é possível dar a volta por cima sozinho. Há momentos em que já estamos tão lá no fundo que precisamos de uma mão. Fico triste agora que descubro. Tarde de mais. Lamento ter esperado por um pedido de ajuda que não chegou. Lamento muito…

segunda-feira, novembro 19, 2007

Tô voltando


Entretanto…
Passo a vida a dar choques a tudo e a todos. Electricidade estática. Desconfio que a porcaria dos phones que uso enquanto estou no computador, sempre ligados no “Cotonete”, me andam a encher a cabeça de electricidade. O problema é que estou viciado. Na música, claro. Assim… pertinho, sem interferências.

sexta-feira, novembro 16, 2007

Parece que 2ª Feira chove...

Breve pausa no amuo

Na minha tentativa para voltar ao antigamente, regressei ao ginásio. Vontade não tinha nenhuma, mas como desta vez arranjei companhia, lá fui eu.

É engraçado que eu, que já lá tinha andado uma porrada de anos (3 seguidos e 2 aos bocados) nunca me tinha libertado ao ponto de falar com os colegas de ginásio. Encontrei por lá muita gente que conhecia mais ou menos de vista ou das noites de copos dos tempos de estudante, mas nunca meti conversa com ninguém. Acontece que agora, que levo companhia, e que portanto, já nem precisava, me deu para falar com tudo e com todos. Vá se lá perceber isto.

Mas o que me leva a fazer esta breve interrupção no meu amuo, foi o facto de ontem, ter encontrado por lá, uma moçoila, prima de um amigo e colega da Agrária, a quem nos tempos de estudante, por pouco não dei uns beijos (à moçoila, não ao colega). Acontece que passados estes 13 – 14 anos a moçoila parece-me melhor que nunca. Como o vinho do Porto, apurou com a idade. Está em excelente forma física. Fiquei muito bem impressionado e claro, nesta minha nova atitude não descansei enquanto não me aproximei e lhe disse um tímido olá. Mais tarde, ainda balbuciei qualquer coisa, a respeito dos aparelhos do ginásio, de que me arrependi de imediato, de tão ridículo que pareceu aquilo. Espero encontrá-la por lá mais vezes. É sempre bom ter companhia bonita quando se faz uma coisa de que não se gosta muito.

sexta-feira, novembro 09, 2007

sexta-feira, novembro 02, 2007

quinta-feira, outubro 25, 2007

Caprichos


Numa rara noite de folga conjugal, assumo finalmente o controlo dos comandos à distância e consigo, tão incoerentemente, ler a Relíquia de Eça de Queirós e ver e ouvir um DVD dos U2 (Go Home – Live from Slane Castle – Ireland). Um DVD que inclui a mais maravilhosa e emocionante (até põe os cabelitos em pé :-)) passagem entre músicas. “All I want is you” e “Where the streets have no name”. Indescritível.





Pena que o yotube não tenha ido um pouco mais atrás na música "All I want is You" para captar toda a magia da passagem de que falo, mas de qualquer forma grande parte dela está lá.

quarta-feira, outubro 24, 2007

E já agora...

Sou homem, e homem que é homem, não gosta de músicas lamechas, muito menos italianas. Porém como este vídeo se passa em Barcelona e pelo meio se fala de futebol, ;-) abro uma excepção. Sei que dentro do género é do melhor que se pode fazer. Dedico o vídeo (e a música) a quem se sentir tocado pela música (ou pelo vídeo, como queiram).

Zero Assoluto
Appena Prima di Partire


Estou apaixonado

Pois é…
mais uma vez.

Depois da Shakira, da Wanessa Camargo e da Shakira outra vez, perco-me agora de amores por esta Cabo-verdiana de 20 aninhos. Chama-se Mayra Andrade. Conheci-a no Piolho da Solum, Vi o video e não descansei enquanto não comprei o CD. 5 estrelas. Do principio ao fim, em crioulo ou em francês este disco está cheio de tudo de bom do que andámos a fazer por esse mundo fora.

Mayra Andrade
Comme s' il en pleuvait


sexta-feira, outubro 19, 2007

Já está

Ontem fui à minha primeira aula de clarinete. Depois de um ano conformado na viola do conservatório, mudei de escola, atrás do meu instrumento de eleição.

Soprei que me fartei, perdi o fôlego e quase desmaiava de tanto inspirar e expirar. Foi um sucesso porque não tinha a certeza de que pudesse alguma vez fazer aquele pífaro tocar, mas tocou. Fiz os exercícios, tudo direitinho e quando apanhava o professor pelas costas tocava em todos os botões (que são imensos), de cima a baixo e de baixo a cima, em magníficos improvisos. Foi muito divertido.

Vou esperar uns tempos, até ter a certeza de que é o que quero, para depois comprar (ou não) o clarinete, até porque, não achei grande piada a partilhar a boquilha com o professor, mesmo tendo ele o cuidado de a limpar com as mãos, mas não posso demorar muito porque os trabalhos de casa são essenciais à aprendizagem.

quinta-feira, outubro 18, 2007

8000. Tantas?!

É costume ver por esses blogs fora, algumas referências comemorativas, umas mais entusiastas, outras menos, ao número de visitas registadas nos contadores de entradas. O meu já leva mais de 8000 mil entradas, mas isso a mim não me traz grande entusiasmo. Tendo este blog apenas 1 ano e meio, saber que já o visitei umas 7500 vezes, pode até ser, um pouco depressivo. É só fazer as contas.

Para começar

quarta-feira, outubro 17, 2007

Não tarda as mulheres mandam nisto tudo

Se não tivesse já deixado de ser cliente do banco Millennium era agora que ia lá acabar com a conta.

Já viram bem o último anúncio deste banco? Completamente dirigido ao público feminino, despreza totalmente o homem, trasformando-o até num ser infantil e irresponsável. A única vez que põem um homem a falar é para dizer que o casal que ganhou umas massas no concurso deve gastar o dinheiro numa moto!!! De seguida, duas mulheres da plateia incitam o mesmo casal a poupar o dinheiro nas contas especiais da porcaria do banco. Para completar a mulher do casal faz uma descrição pormenorizada das vantagens da conta de poupança do banco, enquanto que o seu companheiro (o homem) está lá com ar de parvo a rir-se. Não abre a boca.

Tudo bem, a mulher perceber de bancos e de contas e juros não me preocupa nada, mas agora o homem com cara de idiota que não diz uma nem duas não é comigo. É por isso que sou cliente da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo um banco como os antigos. Para homens de barba rija. Que mandam lá em casa. :-)

sexta-feira, outubro 12, 2007

Recordações

Quando me casei resolvi, deitar fora todas as recordações da adolescência. Foi tudo para o lixo. Tinha o hábito de guardar tudo. A maior parte das coisas não passavam de lixo, mas no meio estavam as cartas (que na altura ainda se recebiam) e as fotos das ex’s.

Foi tudo para o lixo! Não fiquei com nada.

Assumi a minha vida nova, de uma forma tão arrogante, que fui capaz de desprezar todas as ligações materiais ao passado.

Sempre que me lembro arrependo-me, mas por outro lado também acho que não é muito saudável ficar agarrado essas coisas. Reviver o passado nem sempre me deixa muito animado.
Onde é que se meteu a porcaria do Outono???

terça-feira, outubro 09, 2007

Tudo passa

Hoje apetece-me ouvir samba. Acho que é um bom sinal.

Get this widget Track details eSnips Social DNA

Vai passar
Francis Hime - Chico Buarque
1984


Vai passar
Nessa avenida um samba popular
Cada paralelepípedo
Da velha cidade
Essa noite vai
Se arrepiar
Ao lembrar
Que aqui passaram sambas imortais
Que aqui sangraram pelos nossos pés
Que aqui sambaram nossos ancestrais

Num tempo
Página infeliz da nossa história
Passagem desbotada na memória
Das nossas novas gerações
Dormia
A nossa pátria mãe tão distraída
Sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações

Seus filhos
Erravam cegos pelo continente
Levavam pedras feito penitentes
Erguendo estranhas catedrais
E um dia, afinal
Tinham direito a uma legria fugaz
Uma ofegante epidemia
Que se chamava carnaval
O carnaval, o carnaval(Vai passar)
Palmas pra ala dos barões famintos
O bloco dos napoleões retintos
E os pigmeus do bulevar
Meu Deus, vem olhar
Vem ver de perto uma cidade a cantar
A evolução da liberdade
Até o dia clarear

Ai, que vida boa, olerê
Ai, que vida boa, olará
O estandarte do sanatório geral vai passar
Ai, que vida boa, olerê
Ai, que vida boa, olará
O estandarte do sanatório geral
Vai passar

Finalmente, um auto-retrato de corpo inteiro, do autor deste blog


Não reparem no(a) infiltrado(a) da esquerda, que não sei como nem porquê, decidiu ofuscar a minha silhueta. Não faço ideia de quem seja.

Serralves


Fui à Fundação de Serralves, vi tudo direitinho, mas claro, sou um campónio. Gostei das árvores e dos bichos.

segunda-feira, outubro 08, 2007

Desconfio...

...que as mulheres escolhem os homens, não pelo que eles são, mas pelo potencial que elas acham que eles têm, para serem aquilo, que elas gostavam que eles fossem.
Estarei enganado?

sábado, setembro 29, 2007

Reposição (Novembro 2006) - Só porque me apeteceu

Maria Rita

Cupido
Cláudio Lins

eu vi quando você me viu
seus olhos pousaram nos meus
num arrepio sutil
eu vi... pois é, eu reparei
você me tirou pra dançar
sem nunca sair do lugar
sem botar os pés no chão
sem música pra acompanhar

foi só por um segundo
todo o tempo do mundo
e o mundo todo se perdeu

eu vi quando você me viu
seus olhos buscaram nos meus
o mesmo pecado febril
eu vi... pois é, eu reparei
você me tirou todo o ar
pra que eu pudesse respirar
eu sei que ninguém percebeu
foi só você e eu

foi só por um segundo
todo o tempo do mundo
e o mundo todo se perdeu
ficou só você eu eu

Quando você me viu...




Músicas que despertam os sentidos, músicas que me deixam com os cabelos no ar, músicas que me envolvem de tal forma que quando as ouço o mundo pode desabar à minha volta que eu nem reparo. Para mim a arte suprema.



segunda-feira, setembro 24, 2007

Mas gosto sempre de mudar

Não gosto do fim do Verão,

Não gosto do fim da praia, dos biquinis e monoquinis,
Não gosto do fim das calça brancas, tão fininhas, quase transparentes,
Não gosto do fim das alças, os decotes generosos, e dos pés à mostra,
Não gosto do fim do sexo sem cobertores,
Não gosto das janelas fechadas (as minhas e as da vizinha :-)),
...

Gosto do Outono,

Gosta das primeiras chuvas,
Gosto das cores das árvores,
Das manhãs frescas e tardes soalheiras,
Das lareiras, castanhas e jeropiga,
Gosto de chegar a casa cedo,
De dormir agarradinho
Dos feriados de Outubro, Novembro e Dezembro,...

Quero parar...

Há uma ansiedade que não consigo controlar. Põe-me o cérebro a mil à hora não me deixando fixar em nenhum pensamento. O coração acelera, a respiração não vai a fundo e eu não percebo porquê.

sexta-feira, setembro 21, 2007

Não sei o que diga, mas entretanto...

Sei que tenho andado pouco por aqui. Por aqui e pelos outros blogs, mas estou a recuperar. Sinto que sim. Este fim-de-semana vai ser o ponto de viragem.

Entretanto, deixo aqui esta música. Uma música do David Fonseca em dueto com a Rita Redshoes. Uma música que eu não percebo porque não passa mais vezes na rádio.
Uma música que embala.
Boa para dar beijos na boca.
Um pequenino, outro maior, mais longo, sôfrego,...
depois a mão que despenteia os cabelos, desce…
envolve o pescoço…
escorrega…
Hold Still.



Meninas não se distraiam com o moço do video. Ouçam só a música.
Bom fim-de-semana.

segunda-feira, setembro 17, 2007

Pois é... Está de chuva.

Se ninguém é perfeito,
Se ninguém tem a mulher (marido) perfeita(o),
Se sempre achamos que falta isto ou aquilo à nossa mulher (marido),
Se tentámos mudá-la(o) e não resultou,
Se apesar de tudo continuamos a amá-la(o),
Onde podemos encontrar aquilo que nos faz falta no casamento?

Post Scriptum: Quanto a mim fartaram-se de batalhar, mas já me mudaram muito. Nalgumas coisas até para melhor. :-)

O terror de comprar flores

Confesso que não gosto de comprar flores. Pior ainda, de ter que andar pela rua com vistoso ramo. Tenho a sorte de ter uma florista do lado de lá da rua o que ameniza esta última etapa da coisa. Praticamente num salto, atravesso a rua e entro no prédio, quase sem ser visto. No entanto, se ter uma vizinha florista tem essa vantagem, tem também a desvantagem desta me conhecer a mim e à minha mulher. De conhecer igualmente a minha família, que nem sequer é de cá e a família da minha mulher. Não duvido que conheça igualmente toda a vizinhança e os seus familiares. Sei disso, pelas perguntas pormenorizadas que me faz. Mesmo assim, o facto de ter de atravessar apenas uma rua para me esconder compensa o facto de por exemplo ela sempre querer saber qual o motivo das flores. Com a desculpa de colocar um mini autocolante alusivo à ocasião, pergunta sempre: “É para a sua mulher? Ela faz anos?”.

Mas o esforço compensa. É para mim um mistério o efeito provocado por um ramo de flores. Uma coisa que não serve para nada! Até pode ser bonito, mas é só isso. Dura pouco e nem se pode comer no fim. Mas o facto é que resulta sempre. Um grande sorriso, um beijo e uma abraço apertadinho. Flores, pelo menos uma vez por ano.

quarta-feira, setembro 12, 2007

Vou de férias, volto e não passo disto...

É sempre por esta altura em que tenho que regressar ao trabalho, depois das férias de verão, que me dá uma vontade imensa, de mudar de actividade profissional. Dar uma volta à vida. Mudar de ares, de gentes e de rotinas.

Dou voltas à cabeça e começo por recolher as condições essenciais. Assim, gravo numa lista mental (esta vez é a primeira vez que escrevo (já se pode considerar um progresso, relativamente a anos anteriores)) os seguintes condicionalismos por ordem de preferência:
1 - Tem de ser no meio da cidade;
2 - Não posso partilhar o trabalho com ninguém, pelo menos permanentemente. Sou muito individualista (um dia escrevo sobre isso);
3 - Num local onde se possa passar música, de preferência escolhida por mim (não é preciso que seja em “altos berros”, basta que seja uma coisa de fundo mas que se ouça);
4 - Tenho de estar rodeado por mulheres, de preferência jovens e bonitas;
5 - Tenho de ser o patrão;

Normalmente perco-me na lista, mas encontro sempre o meu trabalho preferido. O meu trabalho de sonho.

E o meu trabalho de sonho era… Tarãããããããnnnnnnn!...ter uma loja de Lingerie!

Boa ideia, não era?
Imagine-se: tinha de ir a passagens de modelos ver as novas colecções. Podia olhar à vontade. Um olhar profissional, claro! Uma vez por outra teria de dar opiniões às clientes. “Fica melhor este ou (espere um minuto), este?”. Ocasionalmente teria de ajudar uma cliente a apertar ou desapertar qualquer coisa…
Que mais poderia desejar?
Só um problema. Uma mulher frequentaria uma loja de lingerie onde fosse atendida por um homem?

segunda-feira, setembro 10, 2007

Já cá estou

Muito caladinho, por enquanto, mas já por aqui ando.
Não é fácil regressar de férias duas vezes, no espaço de 3 semanas...

sábado, setembro 01, 2007

Férias - Parte II

Tantas foram, este verão, as indefinições sobre as minhas férias, que acabou por me sobrar uma semanita. Por isso vou agora gastá-la. Vou para perto. Só quero descansar. Não fazer nada. Dormir, passear a pé, andar de bicicleta, ler, mergulhar no mar gelado de uma Prainha do Centro e pouco mais. Nem me importo se chover. Dorme-se bem ao som da chuva… .

Volto já.

sexta-feira, agosto 31, 2007

Até sempre








Obrigado por tudo Tio. Por tudo quanto me ensinou, por tudo quanto me ajudou e por tanto quanto me fez sentir especial e importante. Vou sentir a sua falta. Acredito que quem parte novo vive novo na eternidade. Um dia encontramo-nos.




quarta-feira, agosto 29, 2007

segunda-feira, agosto 27, 2007

Hoje apanhei muito sol, só pode. Depois dá nisto!

Entre as minhas namoradas, não sei muito bem se por capricho do acaso, (desconfio que não), sempre fui alternando entre namoradas de mamas grandes com namoradas de mamas pequenas. (Será que ficava melhor se dissesse seios? Peitos? Bem para o que eu quero dizer pouco importa) e o que eu quero dizer é que, para grande infelicidade minha, a minha ex-namorada, a que foi mesmo anterior à namorada com quem me casei e que agora é minha mulher, tinha umas lindíssimas e enormes…
Pois...
Agora já há pouco a fazer.
Escolhi, está escolhido.
Mas que tenho saudades tenho.
Das mamas. Só isso.

domingo, agosto 26, 2007

Há gajos com sorte!

Cansado de ouvir, da minha mulher, frases do género:

- “Toda a merda tem uma televisão de ecrã plano menos nós que continuamos a ter este caixote preto!”, e embora para mim chegasse bem o tal caixote, já que, do que eu gosto, é de DVD’s musicais e para isso, chega o meu receptor AV e umas boas colunas surround, lá fui contrariado à loja das televisões.

Vim de lá arrepiado com os preços dos LCD’s e disse à minha mulher que lá para o Natal (não lhe disse, mas estava-me a referir ao natal de 2010) poderíamos voltar a pensar nisso. Entretanto vim de lá carregado de catálogos e num deles vinha um pequeno passatempo instantâneo para a net. Concorri, não ganhei nada no instantâneo, claro, mas como consolação ficava habilitado a outro concurso se preenchesse um pequeno formulário. Enchi-me de paciência, preenchi o formulário e esqueci.

Quando cheguei de férias tinha recebido este mail:

Exmo Sr. Waterfall,

Na eventualidade de não ter verificado aquando da publicação dos resultados do Concurso Y do Fabricante de televisões da Marca X, no dia n de Julho de 2007, no nosso site e nos jornais Diário de Notícias, Jornal de Notícias e Correio da Manhã, que foi o premiado com um televisor XPTO última geração de um metro e dez de largura (2000 euros), reiteramos os nossos Parabéns e informamos que dispõe de 90 dias a contar da data da realização do sorteio (n de Julho de 2007) para reclamar o seu prémio junto do Fabricante de Televisões da Marca X, devendo fazê-lo para o número de telefone 21 xx xxx xx.

Mais uma vez os nossos Parabéns

Melhores cumprimentos

Há gajos com sorte!

sábado, agosto 25, 2007

Pérola Negra


Estás neste momento no topo do arquipélago à espera de veres as estrelas. As estrelas que pontuam cada uma dessas maravilhosas ilhas, e que marcam as povoações. E as estrelas, as verdadeiras, as mesmas deste hemisfério norte, que eu, mesmo assim tão distante, poderia observar, não estivesse aqui, no meio da cidade iluminada.

Fico à espera da foto…

Pérola Negra

sexta-feira, agosto 24, 2007

Férias


Pois é. A grande surpresa das minhas férias começou logo dentro do avião. Na ida.


Eu sabia que ela era hospedeira de bordo, mas não sabia de que companhia. E se em outros voos tive esperança de a encontrar, desta vez, nem me lembrei de tal. É sempre assim, não é?

Adorei vê-la. Foi o ponto alto das minhas férias. Falámos um bocadito, (ela estava a trabalhar e eu não queria atrapalhar), mas deu para ver que por dentro está igualzinha. Um amor, uma simpatia contagiante. Por fora continua linda, embora eu ache que um pouco menos de “bronze” e de pinturas (não sei se a companhia exige) lhe assentasse melhor.

Por um momento levantei-me para ir à casa de banho e à saída entrei no compartimento das hospedeiras onde estavam a preparar os almoços, e ali pude dizer-lhe o quanto estava feliz por revê-la. Queria dizer-lhe para ler o meu blog, mas não tive coragem. Podia ter pedido o mail, mas não me lembrei. Devia ter tirado uma foto com ela à porta do avião, mas só me lembrei depois. O meu cérebro bloqueia sempre nestas ocasiões.

Tenho o número de telemóvel, e quando escrevi este post tive vontade de lhe mandar um sms com a morada do blog. A vontade não passou mas a coragem também não chegou. Não consigo prever as consequências de um acto assim, e quando isso acontece, deixo-me ficar. Se calhar é o melhor.

Fiquei muito feliz.

Convidou-me a mim e à minha mulher para aterrarmos dentro do Cockpit. Ao mesmo tempo eu disse não e a minha mulher disse três vezes sim. Valeu o sim, valeu o medo, valeu a simpatia dos pilotos, valeu a paisagem. Valeu.

Fiquei muito feliz.

Estava a precisar.

quinta-feira, agosto 23, 2007

Ainda não digo nada...

...mas já cá estou.

Meio adormecido vou dando umas voltas por aí, enquanto tento apanhar o trabalho em andamento.

Até já.

segunda-feira, agosto 13, 2007

Férias


Para mim, férias é isto.
Largar estes velhos sapatos "todo-o-tereno", que uso todo o ano e claro, a porcaria do telemovel que fica em casa.

Volto já

sexta-feira, agosto 10, 2007

Quem sabe não me meto numa destas

Quando tinha uns 11 anos, no sul de França, fiquei, juntamente com os meus pais e os meus irmãos, num parque de campismo, paredes meias com outro que era naturista. Esse parque, o não naturista, onde ficámos, era mesmo assim, mais liberal que o normal. As casas de banho eram mistas e as portas dos chuveiros tapavam apenas uma parte do corpo. A cabecinha ficava à vista. Acontece que as pessoas mais altas viam tudo lá para dentro. Para um adolescente de 11 anos, aquilo era quase motivo suficiente para não tomar banho. E acabou por ser, porque, numa vez em que me estava a demorar um pouco mais, uma enorme alemã, enfiou a cabeça no meu cubículo e barafustou qualquer coisa que não entendi. Fiquei tão embaraçado que terminei o banho de imediato e nunca mais lá pus os pés. Banhos só os do mar.

Os parques tinham praias contíguas. A do parque normal, uma praia normal e a do parque naturista uma praia naturista. Entre ambas, não havia nada a separar. O meu irmão, que era (e continua a ser) mais velho que eu, e portanto mais curioso nessa área, passava o tempo em grandes passeatas, entrando pela praia naturista descontraidamente. Eu, ao contrário, embora fizesse questão de o acompanhar, raramente tirava os olhos da areia. Espreitava pelo canto do olho, meio envergonhado com todo aquele descaramento. Nem nunca tinha ouvido falar em tal coisa, quanto mais ver. Pouco tempo depois acabei por me arrepender de não ter visto tudo bem visto, como fez o meu irmão.

Hoje até acho piada à ideia do naturismo e se me aproximar de uma destas praias vou convencer a minha mulher a experimentar.
Depois conto.

Entretanto, aqui fica a lista das praias.




PRAIAS NATURISTAS OFICIAIS:

Bela Vista
(Entre a Caparica e a Fonte da Telha)
Extenso areal e dunas

Meco
(Entre a Lagoa de Albufeira e Sesimbra)
Extenso areal e falésia com água

Ilha de Tavira
(Entre Olhão e Tavira)
Extenso areal

Praia das Adegas
(A Sul da praia de Odeceixe)
Areia fina

Praia do Salto
(A norte da praia grande de Porto Côvo)
Praia pequena mas abrigada

PRAIAS NATURISTAS NÃO OFICIAIS:

Fonte da Telha
(Entre a Bela Vista e o Meco)
Extenso areal, falésias, dunas, matas, muito nudismo a sul

Ursa
(Antes do Cabo da Roca, entre Sintra e Cascais)
Pequena, escarpas rochosas, grutas e areia. Muito bonita mas de acesso difícil

Prainha
(Entre Lagos e Portimão)
Escarpas rochosas, grutas e areia, nudismo no extremo leste

Bicas
(A sul do Meco, entre a Lagoa de Albufeira e Sesimbra)
Areal protegido por falésia alta, nudismo no extremo norte

Pessegueiro
(Frente à Ilha do Pessegueiro, entre Porto Covo e mil fontes)
Lages rochosas e areia, nudismo nas praias entre rochas

Salgado
(Entre a Nazaré e S. Martinho do Porto)
Nudismo ocasional

Malhão
(A Norte de Vila Nova de Milfontes)
Falésias baixas recortadas, bicas de água boa, nudismo a norte

Cabanas Velhas
(no algarve, entre Lagos e Vila do Bispo, perto de Burgau)
Praia larfa, protegida por falésia, acesso fácil e estacionamento

Furnas
(No Algarve, entre Vila do Bispo e Lagos, perto de Figueira)
Muito difícil de encontrar e chegar lá. Um pequeno paraíso!

Fonte: Naturismo em Portugal e Federação Portuguesa de Naturismo

sexta-feira, agosto 03, 2007

Não tarda volto

Não, ainda não fui de férias.
Só que este ano rebentei antes das férias. Fui-me abaixo e ainda não voltei totalmente à superficíe. Nesta altura do ano, não dá mesmo para ficar em casa a recuperar.

A minha mulher tem sido o meu Anjo da Guarda, a minha Enfermeira Chefe e eu fico com um peso na consciência por aquilo que algumas vezes aqui escrevo. Um monte de parvoíces, que pouco ou nada significam e em nada beliscam o tanto que a amo.

Talvez depois das férias abra o jogo e o blog. Passe de anónimo a real, com nome decente e verdadeiro. Mas antes tenho que lhe fazer uma pequena limpeza. Um assunto para meditar durante as férias, depois de 15 de Agosto.

terça-feira, julho 24, 2007

Aproximação

- Lês tanto… deves saber tanta coisa interessante… tenho pena que fales assim tão pouco.
- (riso envergonhado)
- Porque não falas comigo? Porque é que não me ensinas tudo o que sabes?
- Não posso. Não sou capaz de me aproximar mais. Sinto uma força que não tenho a certeza de ser capaz de controlar. Mantenho-me à distância. Sabes que não posso,… não devo, … não quero. Tenho a certeza que não quero magoar as pessoas de quem gosto. Não tenho a certeza se consigo aproximar-me e resistir.
- Eu sempre achei que não simpatizavas muito comigo. Embora tivesses atitudes contraditórias, mas sabes, sou um pessimista. Espero sempre o pior.
- Eu fujo…
- Pelo menos escreve. Escreve que eu leio. À distância. Escreve num blog. Escrevemos os dois. Como se fossemos dois estranhos. Um de cada lado do mundo, com pseudónimos românticos, personagens de um livro de um amor impossível. Pode ser?
- Não sei. Não deixa de ser uma aproximação e por mais que digas que estás longe, estamos sempre perto. Tenho medo. Quero muito, mas não posso.
...

segunda-feira, julho 23, 2007

Bug II

Há quase uma semana que ando com umas tonturas esquisitas. Volta e meia fico tonto, e quando não estou tonto, estou deprimido, por volta e meia andar tonto. Para não escrever tontices, não escrevo. Volto quando andar menos tonto, ou para dizer que fiquei tonto de vez. :-)

domingo, julho 15, 2007

Bug

Se Deus fez o ser humano e toda a natureza de uma forma incrivelmente perfeita, em que todos os elementos do nosso corpo têm a sua função perfeitamente definida e lógica. Se Deus determinou que o homem e a mulher devem ser monogâmicos, porque razão não se terá lembrado de criar uma hormona que actuasse como inibidora do interesse do homem por outra mulher, a partir do momento, em que assume um compromisso amoroso?

É uma verdadeira tortura, para um homem que aceitou e quer ser fiel à sua mulher, não poder espalhar todo o seu amor, já não digo, por todas as mulheres que ele desejasse, mas pelo menos, por todas aquelas que o desejassem.

Considero esta problemática um gravíssimo “bug” na criação humana (ou então não deveríamos ser monogâmicos e andamos, quase todos, redondamente enganados).

Fiz esta reflexão quando, ontem na praia, durante um passeio à beira-mar, com a minha mulher, segui totalmente hipnotizado, durante alguns segundos (minutos? Perdi a noção do tempo), um extraordinário exemplar feminino, com um dos rabinhos mais perfeitos que tenho visto (também não tenho visto muitos, diga-se em abono da verdade). De tal forma tentador que penso que até a minha mulher, se pudesse, não deixaria de lhe dar um amochozito. Pelo menos não ficou nada preocupada quando lhe pedi para assumir a direcção do percurso porque eu, hipnotizado como estava, não seria capaz de me desviar da rota seguida por tal obra-prima da natureza. Perguntou-me apenas se o dela era parecido.

Adiante, não deve ser necessário descrever a cena, já todos deverão ter visto um homem numa dessas situações. Perfeita cara de parvo.

Enfim, era a tal hormona inibidora e passaríamos a olhar para uma mulher bonita como quem olha para uma paisagem bonita. Está lá, é bonita, mas não precisamos desesperadamente tocá-la.

quinta-feira, julho 12, 2007

e porque não?

Não casou “porque sim”. Casou “e porque não?”

Estava na idade,
Finalmente tinha namorada,
Ela queria;
E ele…

...Ele achou piada à brincadeira,
Brincar aos crescidos,
Brincar às casinhas...

E porque não?

Arrefecimento global

A minha vizinha, com quem, finalmente, já troquei dois ou três “bons dias”, neste verão, deu-lhe para usar em casa, umas deprimentes calças de pijama, em vez da sensualíssima tanguinha, já tradicional em verões passados.
E agora?
Escrevo sobre quê?
Onde param aquelas noites quentes?...
Muito quentes...
A escaldar...
Onde pára o aquecimento global?

terça-feira, julho 10, 2007

Férias 2007 - plano B


Embora ainda não saiba qual é o plano A, este é o meu plano B. Do plano A só sei qual é a companhia. Acerca do destino nada sei, por isso estou a preparar muito seriamente o meu plano B. A mala carregada de comida, uma tenda para as emergências e aí vamos nós Europa fora. Com o percurso mais ou menos delineado, sem nada marcado, dormimos onde calha e quantas noites nos der na telha. Se gostamos ficamos se não pomo-nos a andar. Já conheci a Itália assim, de norte a sul e correu muito bem. Aliás, foram das melhores férias da minha vida. (Ainda não tinha ido ao Brasil. :-))

sexta-feira, julho 06, 2007

Está m' apetecer

Este fim-de-semana vou experimentar fazer umas caipirinhas com a Bimby. Só para refrescar.

quarta-feira, julho 04, 2007

...

Quando um homem com muito bom aspecto anda com uma mulher fisicamente não muito interessante, isso significa o quê?

1º - A mulher é uma autêntica fada do lar, excelente cozinheira, enche o marido de mimos culinários e não só, mantêm a casa num brinco (chega a mudar lâmpadas e a pendurar quadros), sempre com muito prazer e alegria. Nunca reclama.

2º - A mulher tem dinheiro que nunca mais acaba permitindo ao homem uma vida desafogada e sem muito trabalho.

3º - A mulher é sexualmente destravada, uma verdadeira “sexbomb” e isso compensa tudo o resto.

4º - Nenhuma das anteriores hipóteses é verdadeira mas o homem simplesmente apaixonou-se e isso não se explica, acontece.

Já agora, será muito importante haver um equilíbrio estético num casal? Equilíbrio intelectual tenho a certeza que sim, estético não sei.

segunda-feira, julho 02, 2007

Vertigem

A infidelidade está para mim tão distante que chega a ser um mistério. Uma história de livro. Pura ficção.

Está distante porque não entendo como se faz a abordagem a uma mulher casada (comprometida). Se a uma mulher solteira também nunca percebi muito bem, menos ainda a uma casada.

Vá, se calhar até percebo.
As coisas acontecem, não é?
A intimidade vai crescendo.
De repente sente-se uma atracção a ir e a vir.
Cruzam-se os olhos e por um momento, pousam um no outro.
Soltam-se sorrisos nervosos e se estão perto, muito perto, pode acontecer.
Respiram-se.
O coração bate depressa e chega-se a um ponto sem retorno.
Perde-se a noção do espaço, do tempo e do perigo.
Agora já não procuram nada.
Já não há racionalidade.
Deixaram-se envolver pelo jogo de sedução porque pensavam poder parar quando quisessem.
Era um passatempo.
Não pararam.
Não porque não quisessem mas porque não conseguiram.
Despediram-se dezenas de vezes.
A última despedida foi a do casamento e dos filhos.
Juntaram os cacos e quando entraram na rotina tiveram a estranha sensação de já terem vivido aquela vida.

sexta-feira, junho 29, 2007

Às vezes é mesmo difícil arranjar títulos para os post's

Se eu hoje sei coisas que não sabia há 10, 15, 20 anos atrás, se eu hoje sei que fui burro e ingénuo em certas ocasiões da minha vida, se eu hoje, já sei, que ainda não sei tudo, o que será que eu hoje precisava saber, para não me arrepender no futuro?

Não estarei hoje, a cometer os mesmos erros do passado? A mesma falta de confiança, a mesma timidez, a mesma ingenuidade, o mesmo medo de me assumir?

quarta-feira, junho 27, 2007

Shakira


Sou completamente fã da Shakira. Tanto como sou da Wanessa Camargo. Mais da pessoa que da música.

Muito bonita, com um ar ao mesmo tempo meiguinnho e sensual. Pequenina como gosto e muito, mas muito simpática. Das entrevistas que vi parece-me sempre muito simples. Esforça-se por falar Português e tanto quanto sei faz os possíveis por não recusar entrevistas. Não tem as manias do costume neste tipo de gente. Bastaria um estalar de dedos e eu…

Mas mesmo se ela fosse feia e antipática não deixaria de gostar imenso desta música - Obtener un si. Uma música com cheiro a Brasil. Para mim a mais bonita de todas as suas músicas.

Get this widget Share Track details

sábado, junho 23, 2007

Flores da cidade



O meu local de trabalho tem 8000 ha.


Esta fotografia é de uma parte dos 8000 ha. Se as vantagens de trabalhar num lugar assim são mais ou menos evidentes as desvantagens nem por isso.

A principal desvantagem é o isolamento. Vive-se num mundo, ao mesmo tempo, grande no espaço mas pequeno no meio. Sinto falta de ver gente, de conversar, de rir. Sinto falta do turbilhão da cidade.

É por isso que quando chego à cidade pareço um burro a olhar para um palácio. Fico de queixo caído, admirando a quantidade fenomenal de mulheres bonitas. Lindas. Mais lindas que o campo e as suas flores.

Procura-se emprego.

sexta-feira, junho 22, 2007

Lamparinas

Se me aparecesse uma lamparina mágica com um mago dentro, nos meus três desejos incluiria o de passar a ter a capacidade de perceber se uma mulher se sente ou não atraída por mim e em que grau. Seria uma ferramenta diabólica. É que nesse aspecto sou um zero à esquerda. Não pesco nada.

Ás vezes até posso desconfiar, notar um olhar ou outro, interpretar alguma coisa dita numa entrelinha, mas a certeza nunca tenho. Nunca é suficiente para que possa responder com segurança. Em toda a minha vida devo ter perdido dezenas de sinais. (fiquei aqui na dúvida entre as dezenas e as centenas, mas a bem da modéstia mantive dezenas). Aliás, do mal, o menos, espero continuar a perdê-los. Isso já não é mau sinal.

Bem, há aqueles casos em que alguém se declara indecentemente, como há uns tempos me aconteceu. Uma prima de uma ex-colega, após um almoço de curso, com um copito a mais, chegou a dizer, agarrada a mim, e à frente de toda a gente, que comigo, cozinhava, lavava, passava, tudo sem reclamar. Quando é assim, chego lá. De outra forma não topo nada. Não adianta vir com subtilezas que eu não entendo esses sinais. É uma tristeza. E eu só queria saber interpretar esses sinais para alimentar o ego, nada mais.

Promessa cumprida

Hoje acabo as aulas de viola. Para finalizar fazemos hoje à noite uma audição, em que cada um de nós toca uma musiquinha a solo e depois umas duas ou três todos juntos. Felizmente chegámos a um acordo e nenhum de nós fez qualquer convite para a assistência. Assim, se tudo correr bem, estaremos apenas, nós os alunos e os professores.

Já treinei as minhas musiquinhas mas não estou muito confiante. Raras são as vezes em que toco tudo sem me enganar. Se me enganar nas músicas de conjunto não tem grande problema, porque praticamente não se percebe, mas se for na minha actuação a solo, vai ser pior. Não há de ser nada!

Esta vai ser a minha última actividade da viola. Para o ano ou me dedico ao clarinete ou abandono a música. De qualquer forma foi muito positivo. Aprender nunca é demais.

Promessa cumprida!

quinta-feira, junho 21, 2007

Sinto falta

Sinto falta de ter alguém que me ame incondicionalmente. Alguém para quem eu seja o ídolo perfeito, um sábio, alguém que corra para mim em busca de mimo, de um beijo e um abraço, de segurança.


Sempre vou tendo as ovelhas. Essas correm para mim quando chego à quinta. Bem sei que é por causa de um pouco de ração, mas correm.:-)


Sinto falta de amar da forma como se ama um filho, incondicionalmente. Sinto falta de ficar babado a olhar um filho crescer, construindo pequenas coisas, no seu pequeno mundo.

Sinto falta…

Mas só isso dava um blog.

Personagens, Personalidades e Heterónimos

Há tanta coisa sobre a qual gostava de escrever. Tanta coisa que não escrevo por não me querer expor em demasia. É por isso que invejo os escritores que sabem e podem pôr em personagens várias, todos os pensamentos, fantasias, actos e atitudes.

Uma enxurrada de pensamentos e comportamentos, impossíveis de atribuir a uma mente só. Vivem através delas e sempre sem nenhuma exposição. Não passam de personagens, com personalidades inventadas, descritas por diferentes heterónimos.

Lides Domésticas II

Ainda a propósito do post, antes do anterior (está logo aí em baixo, não vale a pena fazer uma hiperligação) lembrei-me que também passei a fazer boa parte das compras da casa.

A certa altura da minha vida de casado, deixei-me de esquisitices e, em vez de me irritar porque faltava isto ou aquilo (ou ambos) em casa, comecei eu, a tratar das compras, sempre que era necessário. Foi o melhor que fiz. Descobri um mundo novo.

Os supermercados são locais cheios de mulheres,… a vender e a comprar. E depois, parece-me que elas adoram ver um homem, no meio de um supermercado, com ar perdido. Ficam completamente derretidas quando, desajeitadamente, lhes peço ajuda. O que não faz um sorriso, não é?

Dixie Gang

Na passada terça-feira, assisti a uma espectacular actuação dos Dixie Gang, uma banda Dixie que toca essencialmente jazz dos anos 10 e 20 do século XX. É composta pelos seguintes músicos: João Viana (cornetim), Claus Nymark (trombone), Paulo Gaspar (clarinete), Jacinto Santos (tuba), David Rodrigues (piano), Silas Oliveira (banjo) e Rui Alves (bateria).

Foi dos melhores espectáculos que vi. Divertido, descontraído e de muita qualidade musical. E, claro, sendo eu, cada vez mais, fã de instrumentos de sopro, adorei. Mais uma vez fiquei com vontade de aprender a tocar clarinete. É um instrumento com uma grande amplitude de sons, desde os muito agudos até aos graves e a sua versatilidade, permite-lhe acompanhar diversos géneros musicais, como a Música Clássica, o Jazz, as Big Bands, as Dixie Bands, a Música Popular Brasileira e Portuguesa, o Samba, ou seja, praticamente todos, e isso é uma grande vantagem, relativamente a outros instrumentos.

É também um instrumento que se adapta à minha personalidade, porque normalmente não é o instrumento principal, como o piano ou a viola. O clarinete vai aparecendo na música e revela-se aos poucos. Pode começar por fazer remates de frases musicais, depois pode passar a tocar algumas frases e quando tem confiança pode mesmo fazer uns solos. Na minha vida também não gosto de estar na 1ª linha. Acho que o trabalho importante se faz cá atrás. A 1ª linha é para os vaidosos. Lembram-se da série “Sim, Senhor Ministro” é a caricatura perfeita disso mesmo. O clarinete numa banda embora não sendo o elemento principal, nem sequer fundamental, pode dar a uma música um toque precioso.


Uma destas sextas-feiras, encho-me de coragem e faço o que aqui propus! Vai ser um verdadeiro sucesso!

terça-feira, junho 19, 2007

Lides Domésticas I

Antigamente tinha uma vergonha terrível de ser apanhado a pendurar a roupa na varanda, em plena luz do dia. Se tinha que pendurar roupa para secar, guardava sempre para a noite e quando via alguém, escondia-me.

Agora já não me envergonho. Embora continue a fazê-lo sempre pela calada da noite, já não me escondo se me observam. Descobri que assim, aumento a minha popularidade entre a vizinhança feminina.

Aí andam elas



Fonte: http://www.sitemeter.com/

sexta-feira, junho 15, 2007

Viagem


Foto: esta é das minhas (Cliquem na imagem para lhes ver bem as fuças)

Fartas da monotonia da quinta, pequeno pedaço de terra em que vivem, desde que nasceram, as minhas ovelhas, ganham agora, novos horizontes. Espreitando através desta imensa janela virtual, não tardará muito e terão ido a Lisboa, Coimbra e mesmo até ao Brasil. Neste mapa ficam marcados os pontos de passagem.

Bom fim-de-semana.

quinta-feira, junho 14, 2007

Piropo II

Te Devoro
Djavan


Get this widget Share Track details


Teus sinais me confundem da cabeça aos pés
Mas por dentro eu te devoro
Teu olhar não me diz exato quem tu és
Mesmo assim eu te devoro, te devoraria...
A qualquer preço porque te ignoro ou te conheço
quando chove ou quando faz frio
Noutro plano te devoraria tal Caetano
A Leonardo di Caprio

É um milagre... Tudo que Deus criou pensando em você
Fez a Via-Láctea, fez os dinossauros
Sem pensar em nada fez a minha vida e te deu
Sem contar os dias que me faz morrer
Sem saber de ti, jogado à solidão
Mas se quer saber se eu quero outra vida... Não...não

Eu quero mesmo é viver, pra esperar, esperar... devorar você



Se a quadra da música “Outros sonhos” era um piropo infalível (reparem que já lá pus a música), esta não lhe fica muito atrás. Quantas mulheres não vacilariam, ao ouvir uma coisa assim:
“Tudo que Deus criou pensando em você
Fez a Via-Láctea, fez os dinossauros,
Sem pensar em nada fez a minha vida e te deu.”

Já agora, o que quererá ele dizer com a frase “Noutro plano te devoraria, tal Caetano a Leonardo di Caprio”? Será o que parece? E o Caetano, será o Veloso? Aqui tem história!

Deusa da Música

Na 3ª-feira fui a uma audição de guitarra clássica, de uns alunos da escola de artes, no conservatório, e lá estava ela. Uma das minhas "amigas" da orquestra. Desta vez acompanhava, ao violino, um guitarrista. Linda. Perfeita, na forma, no movimento e na música. Um encanto.



Nota:
Queria pôr como titulo deste post, o nome de uma deusa da música. Fui pesquisar mas apenas encontrei o Deus grego Apolo, que era, de facto, Deus da Música e de mais uma data de coisas. Só que acho que não encaixa muito bem neste texto. Precisava de uma Deusa, formosa e delicada. Não de um bruta montes de um Deus. Se alguém conhecer alguma deusa, por favor, diga-me.
Já agora, na pesquisa fiquei a saber que a palavra música significa “arte das musas”. Interessante.

CSS

Foto tirada daqui: http://lineout.thestranger.com/2006/07/23-week/


Os meus gostos musicais são tão variados, que é quase impossível adivinhar aquilo que me gosto ou que não gosto. Uma total falta de personalidade musical. :-)

Agora descobri, através da antena 3, os Cansei de Ser Sexy (CSS). Um grupo brasileiro, completamente chalado e de quem ainda, só descobri uma música, que gosto verdadeiramente (a música que está aqui em baixo). Das restantes músicas que ouvi ao acaso, fico com ideia que são demasiado electrónicas e repetitivas.

Mas esta música, “Off the hook”, é muito boa. Faz me lembrar alguma coisa dos anos 80. Não consigo perceber muito bem o quê. Talvez B52’s, será?
No Youtube é possível ver uma grande quantidade de vídeos deste grupo.

Entretanto, cheguei à conclusão, que estou tão à frente que nem as minhas sobrinhas gostam disto. Cotas! Não passa na MTV, não gostam! Estão a precisar de um abanão.


quarta-feira, junho 13, 2007

Professora de música

A minha professora de música, que é uma moça catita, insiste em dar aulas vestida com roupinhas muito apertadinhas e bonitinhas, que lhe realçam as formas, que, diga-se, fazem inveja a muitas raparigas novas.

É claro, que eu, sentado, com os olhos ao nível da sua cintura, faço um esforço quase sobre-“homano” para não ficar especado, de queixo caído, a olhar, enquanto ela se move para trás e para a frente, se vira de costas para escrever no quadro e se estica para chegar ao cimo, ali a dois ou três metros de mim. Já fui apanhado duas ou três vezes distraído. É que não há colcheia ou semifusa que valha, quando a minha mente se perde por essas pautas onduladas, onde componho uma melodia, quase perfeita. (profundo)


A minha pergunta é:
- será que ela tem noção do efeito que provoca?
- E se sim, será que o faz porque gosta de assumir esse papel, ou detesta sentir-se observada, mas aceita pagar esse preço, pelo prazer de andar sempre muito sensual?
- Ou, pelo contrário, ingenuamente, apenas gosta de se aprumar e nem desconfia que os alunos se perdem em fantasias, em que ela é a protagonista?

A sério?!

Tirado daqui A sério???? Acham mesmo que sim? Que os pelos devem voltar? Se a minha opinião puder ajudar a tomar uma boa deci...