quarta-feira, agosto 31, 2011

Cuba, Mi Amor



Tirando Varadero, de magníficas praias e hotéis, Cuba é um País de encantos e sentimentos contraditórios. A cidade de Havana, que conheci melhor, contradiz-se na degradação e destruição do seu património urbano e na alegria do seu povo, apesar de preso a um sistema político imposto e reposto.

Como no Brasil, voltei fascinado com a natureza exuberante, o verde acima de todas as outras cores vivas do campo e da cidade, com o calor, com a humidade, com as chuvadas repentinas e com o sol que se lhe segue, com a música presente em todas as esquinas, com os ritmos daquela gente, mistura de tudo e de todo o lado, com a facilidade com que se faz do Rum uma bebida refrescante e no fim de tudo, ou mesmo antes de tudo, com a sua sensualidade.

As pessoas são de uma simpatia contagiante e quando nos falam fazem como se nos conhecessem há anos, com uma intimidade que chega a ser arrepiante e irresistível. São pessoas simples, cheias de ritmo no corpo. Corpos de pouca roupa, habituados ao calor húmido que escorre em nós e que nos empurra para desejos que até parecem naturais. Dia e noite. O desejo que escorre em nós. Usamos panos para secar o desejo, mas ele volta cada vez mais forte, e os olhos dizem aquilo que queremos esconder. Terrível. Enfim… Por isso tudo esta frase que mais me ficou no ouvido: Mi Amor.

Cuba ficou no meu top 5. :)

Voltarei mais tarde com pormenores intensos, se for capaz de os descrever.

sexta-feira, agosto 12, 2011

Férias

Estou a gastar os últimos cartuchos deste último dia de trabalho. Amanhã vou de viagem. Duas semanas para recuperar o resto do ano. Acho que não me vão faltar motivos para isso. :))
Fiquem bem, ou então vão também. :)

terça-feira, agosto 02, 2011

Saravá!




Um fim-de-semana tórrido, uma Feira de uma vila do interior e eu, plantado num expositor institucional, sem grande coisa para fazer senão marcar presença e olhar para quem passa.

Aproveitei então para ir apreciando uma das mais perfeitas e belas obras de arte da natureza. Nada mais tem o poder de me deixar naquele estado, meio zen, com os meus pensamentos afastados de tudo e de todos, do que a beleza de uma mulher. E foi quando vi esta moça da foto que atingi o nirvana contemplativo dessa noite. Mesmo assim fui capaz de ter o discernimento (ou não), de tentar, completamente absorto dos riscos que poderia correr, agarrar a aura do momento. Mas a coisa correu bem, e com a maior descrição, dignidade e anonimato, consegui captar aquilo que via e sentia.

Algumas mulheres, pelo que são, pela forma como se adornam e pela maneira como mostram aquilo que de mais bonito e mágico têm, merecem todo o meu respeito e homenagem. Às vezes esqueço-me, mas este blogue é quase todo dedicado a elas.

Como dizia o grande poeta Vinícius, Saravá!

“Saravá, assim como axé, selam conversas e têm conotação positiva.
Saravá também pode significar "salve" ou "viva", por influência africana no idioma português do Brasil. É usada nesse sentido específico pelo poeta e compositor brasileiro Vinícius de Moraes.”
Fonte: Wikipédia.

A minha laranja

Imaginemos que eu sou como uma laranja, constituído por gomos muito juntinhos dentro de uma casca. Cada um dos gomos representa um estado...