quarta-feira, outubro 14, 2015


Sou engenheiro de formação e como tal, habituei-me a esquematizar tudo. Nos estudos, no trabalho e claro, na minha vida pessoal.

Eu tenho a teoria de que todos os homens e mulheres se posicionam numa linha que que vai da mulher muito feminina ao homem totalmente másculo. Não existem na minha lógica, apenas homens e mulheres. Existem homens mais masculinos e menos masculinos, assim como mulheres mais e menos femininas. E a linha onde essa gente toda se posiciona é contínua e não tem por isso uma separação clara, pelo que encontramos mulheres tendencialmente masculinas e homens com comportamentos femininos.

Acredito nesta teoria e aceito-a com muita naturalidade. Sei posicionar-me nessa linha e consigo também, posicionar as pessoas que vou conhecendo melhor.

Mas o que acho mais interessante é a quantidade imensa de possibilidades que existem, de diferentes tipos de relacionamentos e nas consequências destas características, nesses mesmos relacionamentos.

Se temos, por exemplo, um homem que está no meio da sua linha masculina e uma mulher no mesmo local da sua linha feminina, então teremos um casal normal. Pelo menos aparentemente. Até aqui tudo bem. O que eu ainda não descobri é, se uma mulher do extremo da feminilidade se dará bem com um homem do extremo oposto, ou se pelo contrário preferirá um homem que se situe mais perto da divisão entre homens e mulheres, ou se porventura não se poderá sentir até atraída por uma mulher masculina. Assim como não tenho a certeza se um homem feminino se interessa por um “super-macho” ou se interessará por outro homem feminino.

Baseado na minha experiência posso tentar dar um palpite. Não tenho nada mais do que a minha própria experiência de vida e o empirismo resultante de uma vida de observações, para me basear no que vou escrever, mas eu acho que existe nessa linha, um espaço mínimo e máximo para que uma relação resulte, isto é, um intervalo de tamanho constante que movendo-se sobre a linha origina em todos os casos relacionamentos com aptidão para resultarem bem. Todos os outros darão relacionamentos desequilibrados.

Pensem nisso se vos apetecer, e se quiserem dêem-me ​a vossa opinião.

P.S. Entretanto, enquanto procurava uma imagem para ilustrar este texto, dei de caras com este teste. O teste em si parece um bocado parvo, mas depois, no texto que revela os resultados aparece a tal linha de que falo.  http://galirows.com.br/teste1.php

Provocações

Pensei em ti e… dorme com os anjos :) Sonhos doces :) Beijo

Ontem, recebi esta mensagem no meu telemóvel. Quando a li e quando respondi, não achei nada de relevante na mensagem, apesar de me ter surpreendido por não ser costume. Mas um pouco depois, abri os olhos e voltei a lê-la. Não tinha reparado com atenção no “e…”. O que terá faltado escrever?

Podia ter perguntado, não era? Pois, mas não perguntei. Com esta moça nunca me meti e não quero meter-me. Tenho que resistir.


Mas o que terá faltado? Será aquilo que estou a pensar? 

sexta-feira, outubro 09, 2015

Saudades


Sinto saudades do blogue, do tempo em que escrevia quase por impulso, e da forma como isso me aliviava a alma.

A principal razão para o meu afastamento do blogue, confesso, é a porcaria do facebook, que cada vez mais é um antro de ódio e ofensa, e que me tem roubado tempo à vida e claro, ao blogue.

O facebook pode ser viciante e acho que para pessoas solitárias como eu, mais apelativo se torna. No entanto, não retiro dele mais prazer do que tirava com o blogue, ou tiro? Sim tiro algum prazer e às vezes algumas alegrias, mas será que o tempo que passo a olhar para aquilo compensa? 

De qualquer forma, esta minha nuvem é sempre o meu ponto de retorno. Disso tenho a certeza. Aqui, volto sempre, como quem volta sempre para o conforto e segurança de um lar, como quem volta para a companhia de um bom amigo.

]...[

A forma descontraída como partilhas comigo a tua intimidade é excitantemente desconcertante.