terça-feira, maio 22, 2012

sexta-feira, maio 18, 2012

Quiet Nights


Anteontem fui ao Cineteatro aqui da cidade ver, pela segunda vez nesta sala, a Stacey Kent, cantora de quem gosto bastante.

Já tinha comprado o meu bilhete há uma semana e escolhi um lugar, numa das duas filas para onde costumo ir sempre. Fui sozinho. Entrei na sala, mesmo em cima da hora de início do espectáculo (embora isso não signifique que essa hora coincida com o começo real do concerto), e dirigi-me para a minha fila. De repente, abro muito olhos e vejo, sentada na minha fila, no lugar mesmo ao lado do meu, a minha ex-mulher. 15 anos de casamento dá bem para reconhecer uma pessoa sentada e de costas. Quase que fiquei em pânico, e perante isso, desacelerei o passo e pensei:

a) Fogo, que se lixe a Stacey, eu vou é embora ouvir o disco em casa;
b) Fogo, vou fazer de conta que me enganei e vou sentar-me noutro lugar qualquer;
c) Mas eu sou um homem ou sou um bicho??!! 1, 2, 3, aí vou eu para o meu lugar. Com licença,...

Fiquem a pensar durante o fim-de-semana e vão dando os vossos palpites. Eu depois conto o que aconteceu. :))

quarta-feira, maio 16, 2012

Pensando sobre o futuro

Pouco tempo antes de me separar, e sem sequer estar a pensar nisso, partilhei este cartoon no meu facebook. Depois, no dia em que tive A conversa com a minha mulher, ela perguntou-me se ia à procura de ser escandalosamente feliz e desde então, sempre que nos encontramos pergunta: "Então, já és escandalosamente feliz?". Eu fico sempre sem resposta, até porque sei que ela não quer saber. Não passa de uma provocação.

Mas o que eu entretanto descobri, é que, escandalosa, é a felicidade que sinto, no caminho que vou percorrendo enquanto a procuro . Entendem? :) Quantas vezes olhamos para trás e descobrimos que, lutámos tanto por um objectivo, que supostamente seria a nossa realização, e afinal, realizados e felizes, fomos enquanto lutámos por esse objectivo...

quarta-feira, maio 09, 2012

Sensação estranha

Sensação estranha, esta, a de ver um antigo álbum de fotografias de uma amiga e encontrar nele, mais fotos minhas do que seria imaginável….

sexta-feira, maio 04, 2012

Too much pressure


Se há coisa que me deixa perdido numa relação, por melhor que ela esteja a ser em todos os aspectos é a pressão. A pressão que é exercida sobre mim. Já aqui disse. Sou do tipo espontâneo. Não gosto do “tens que ligar”, “tens que falar”, “tens que dizer”, “tens que fazer”. Fico piurso e bloqueio e isso resulta que já nem espontâneo consigo ser. E os meus bloqueios, normalmente arruínam qualquer relação. Mas estou a tentar dar a volta à situação. Continuo a achar que há muita coisa que vale a pena. Há muita coisa que merece que eu lute por ela. Um passo de cada vez.

A registar para não voltar esquecer

Outro problema é que eu não sei entrar numa relação a meio termo. Isto é, não sou capaz de não me envolver, envolver pouco ou envolver a meio termo. Quando o faço, faço de corpo e alma e entrego-me totalmente. E toda a gente sabe como no início todas as relações parecem perfeitas, não é? E todos devíamos saber que quando não o são, rapidamente nos apercebemos disso, e quando essa percepção acontece, vemos que talvez já tenhamos avançado demais e que os danos de uma ruptura vão ser já dolorosos. Já passei por essa situação nos dois lados da coisa e sei por isso que não é nada bom. Mesmo nada bom...

Planos

Separei-me em Janeiro e um mês depois, já estava de novo metido noutra relação. Não sei como fiz, mas nem sequer estava nos meus planos. O meu objectivo passava por ter tempo de me fartar de estar sozinho, para depois entrar noutra relação com MUUUUITA vontade. Mas a vida nem sempre segue o caminho mais racional, não é?

A sério?!

Tirado daqui A sério???? Acham mesmo que sim? Que os pelos devem voltar? Se a minha opinião puder ajudar a tomar uma boa deci...