quinta-feira, dezembro 20, 2007

Auto-estima em cima

Estou a ficar velho, maduro e a perder o medo. Fisicamente a idade ainda não me trouxe desgostos. Até acho, que os quilitos a mais que agora tenho, me deram algum charme. Sinto-me mais solto. Sou capaz de falar com mulheres, de me expor. Já não me escondo tanto e ganho com isso. Finalmente encontrei quem me corte o cabelo como eu gosto e pouquinho de cada vez e isso dá-me confiança. Os óculos que mandei às malvas já não escondem os meus olhos que agora se fixam noutros. E como pode ser desconcertante prender um olhar noutro. Se me provocam respondo. Começo e termino uma conversa sem atrapalhações e reconheço quando causo boa impressão. Chego a ficar admirado com as palavras que me saem num discurso fluido e inteligente.

Estou-me a preparar. Já me disseram que depois dos 40 estamos no “ponto” e que aí é que elas caem que nem ginjas. :-)

Agradeço a quem diariamente trabalha em mim, mesmo que não perceba que o faz. Agradeço à pessoa responsável por esta minha nova atitude, sei que lhe devo muito. Espero nunca esquecer. Espero saber reconhecer sempre que isso, é muito mais importante, que as restantes banalidades do dia-a-dia.

8 comentários:

  1. Isso é assim tão importante para ti... que as mulheres cedam aos teus encantos e se sintam atraídas por ti?

    Achas que o meu marido pensa o mesmo que tu? Gostava de saber!

    ResponderEliminar
  2. Homem ou mulher, acho que todos gostam de se sentir desejados. E acho que sim, se o teu marido vir uma moça a fazer-lhe olhinhos, ou a mandar-lhe um piropo ele vai achar piada.

    ResponderEliminar
  3. Desde que não passe de "achar piada"... Tudo bem! Por aquilo que observo há homens que vêm tudo como uma conquista, não se importam de magoar as pessoas e passam por cima de tudo para terem aquilo que querem... espero que não te tornes assim, pois és tão boa pessoa e a tua esposa não merece!

    ResponderEliminar
  4. Pat:
    http://minhanuvem.blogspot.com/2006/09/seduo.html

    ResponderEliminar
  5. E é tão bom sentirmos essas mudanças em nós. Encontrarmos o nosso espaço de conforto.

    Quantas vezes olho para trás e penso em situações com que não soube lidar, ou lidei mesmo muito mal. Hoje seria diferente, já saberia relativizar a importância das coisas... mas enfim, crescer é mesmo isso, aprender com os erros e com as vivências.

    bjs e BOM NATAL

    ResponderEliminar
  6. Já li o teu post! Ainda bem que manténs a tua lucidez e respeito por quem te é mais querido. Mas atenção, concerteza já ouviste o ditado...

    "Quem brinca com o fogo queima-se"

    ResponderEliminar
  7. Pois... O que vale é que a grande maioria das minhas brincadeiras não passam da minha cabeça. :-)

    ResponderEliminar
  8. :) Gosto do teu sentido de humor :)
    (então vão cair que nem gingas? :))

    ResponderEliminar

Voltei a casa

E acho que desta vez é definitivo. Não andava feliz e não estava a conseguir fazê-la feliz. Não me adaptei à vida na nova cidade, às viagens...