quinta-feira, julho 30, 2009

Da teoria à prática

Tive a felicidade de ir a uma festa de Bodas de Ouro de uns Primos, naturalmente já velhotes, mas muito animados e bem dispostos. Numa altura em que o Primo, vestido com o mesmo fraque do dia do casamento (como se fazer 50 anos de casado não fosse, só por si, obra suficiente:)), resolveu dedicar algumas palavras à mulher, filhos, netos e restante família. Num discurso leve e bem disposto, meio a sério meio a brincar, disse a dada altura uma frase que eu entendi perfeitamente e que me coube que nem uma luva.

A propósito da sua faceta de “motard”, paixão que ainda hoje alimenta, frequentando algumas das mais importantes concentrações da região, falava do seu passeio mais marcante. Uma viagem de uma semana ao Luxemburgo. Agradecendo à família o facto de permitirem que se ausentasse por prazer próprio, referiu então a teoria que me marcou. Disse que a mulher, sempre lhe deu a liberdade, que ele tanto prezava, acrescentando que se a ela teve direito, foi porque também ele fez por a conquistar e merecer, nunca dando azo a qualquer tipo de abuso ou desconfiança.

Nós os homens, que assumimos compromissos sérios, teremos dentro e fora da nossa união a liberdade que quisermos ter, se soubermos merecê-la, pela forma como encararmos aquilo que é ou deve ser uma relação a dois. Confiança, respeito, amizade partilha e transparência.

Esta é a teoria…

6 comentários:

  1. Ora aí está!! Umc coisa muito acertada. Esse primo é sábio. É que é mesmo isso que costuma faltar.

    Bjinho

    ResponderEliminar
  2. Post perfeito para eu ler hoje.
    Adorei mesmo.
    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  3. Sabedoria se conquista! Mas estes já começaram desde o inicio a usá-la :) Ótimo exemplo! Abraços, e bom fds

    ResponderEliminar
  4. A confiança é a base de qualquer relacionamento! Quando crescer quero ser com seus primos!

    Bjus, bom fds.

    ResponderEliminar
  5. Ops, desculpe, é a Carla, é que estou no blog do jornal em que trabalho! Bjos.

    ResponderEliminar
  6. Li... gostei e sinceramente, parabéns a todos os que conseguem um feito desses - 50 anos de casamento.

    Deixo só aqui a minha "experiência" no "terreno"... Sempre dei liberdade aquele que é hoje o meu ex... ele sempre foi onde quis quando queria. Nesse aspecto havia confiança... não mútua...

    Há algo mais, ainda mais importante, talvez que a confiança.... o companheirismo... o saber ser amigo... o estar lá quando é necessário.....

    ResponderEliminar

Encontros fortuitos

"Eu vi, Quando você me viu,  Seus olhos pousaram nos meus, Num arrepio sutil" Cupido Maria Rita Compositor: Claudio Lins ...