quarta-feira, agosto 18, 2010

Boom!


Mais uma vez o Boom Festival é realizado nas imediações da barragem onde trabalho. Este ano, finalmente calha numa altura em que não estou de férias, e tive por isso oportunidade de me deslocar ao recinto várias vezes em trabalho. Enquanto a maioria das pessoas daqui olha para aquilo e para aquelas pessoas com ar desconfiado eu abro bem os olhos perante tudo o que vou vendo e tento não perder nada. Embora não faça parte daquilo a que eles próprios chamam a “tribo”, gosto de me misturar para tentar compreender a filosofia de vida deles, saber e ver como vivem. Certamente discordo de muitas coisas mas estou certo que haverá muitas outras com que me identifico. Pelo menos na sua relação com o ambiente, a sustentabilidade do planeta e o equilíbrio entre povos, paz e amor. :)

Gosto das caravanas, dos carros e autocarros velhos, da simplicidade com que vivem, dos pés descalços, da descontracção, enfim…

Mas o que eu queria aqui referir é a impressionante grandiosidade do festival. A forma como um festival realizado no fim do mundo, sem publicidade nenhuma e sem patrocínios de qualquer espécie consegue mobilizar assim tanta gente. Fala-se em 60 mil pessoas, entre as que chegam a entrar no recinto e os que, sem dinheiro fazem a festa do lado de fora. Vem gente de todo o Mundo, principalmente da Europa e são aos milhares a chegar em caravanas a cair de podre, espalhadas por Castelo Branco, Idanha e por todo o lado onde haja um buraquinho. Outros chegam de autocarro, de comboio e até de bicicleta!! Nas imediações da barragem andam às centenas, a pé de um lado para o outro, ou simplesmente deitados na beira da estrada, à sombra de árvores. A festa começa hoje, tem o seu auge na noite de Lua Cheia, de 23 para 24, e termina a 26.

Este ano, se ainda houver bilhetes à venda,vou tentar lá ir . Depois tiro fotografias e conto como foi. Entretanto, se estão curiosos entrem aqui ou aqui no Público.

2 comentários:

Who are you?

Ontem, depois de te ver na esplanada ao jantar, todas as minhas certezas "implodiram". A tua feminilidade, a tua beleza, a tua se...