segunda-feira, novembro 04, 2013

Isto não é suposto acontecer a um homem, ou é?

Esta história é quase inacreditável, não tanto pelo que aconteceu, que já de si me parece  invulgar, mas pelo sítio onde aconteceu.

Lembro-me que na Tailândia, ainda eu era casado, eu e a minha mulher, decidimos que tínhamos que fazer uma massagem. Era quase obrigatório. Mas no meio de toda aquela confusão das grandes cidades asiáticas, onde ainda por cima, como era o caso de Bangkok, o negócio do sexo é muito famoso, a minha mulher apenas admitiu fazê-la no Hotel. Por questões de segurança, disse ela. E assim foi. Mas nem por isso deixei de ser assediado e de me ter visto em “papos de aranha” para conseguir manter a cabeça fria, apesar de todo o meu corpo quente, muito quente mesmo querer seguir por outros "caminhos".  Na altura escrevi isto.

Bem, mas voltando ao início, fui no sábado passado à minha cidade “berço” e como sempre, nestas ocasiões, aproveitei para dar um salto a uma famosa loja de livros e audiovisual existente num dos Centros Comerciais da terra.

Estava então eu dedilhando os DVD’s musicais, na secção Brasileira, quando de repente, uma mulher que estava ao meu lado, tocou com sua mão a minha. Por breves fracções de segundo achei o contacto casual, até perceber que caricias nas mãos, não acontecem casualmente. Sempre agarrada à minha mão, que eu, meio em pânico, fui deixando ficar (acima de tudo não quis que a mulher se sentisse humilhada com a situação e queria sair daquilo de forma mais digna possível para os dois), ela começou a falar. Sobre o que procurava, se era brasileiro, se já lá tinha ido e quase logo de seguida, depois de eu ter dito que não encontrava o DVD que procurava, perguntou-me se eu não estava à procura de mais nada, se não quereria outra coisa. Eu tirei então a mão delicadamente e com um sorriso agradeci e disse que não, que não precisava de nada e afastei-me.

Mas se querem saber a verdade, embora a situação seja estranha, em certo sentido até humilhante e degradante, a mim deixou-me feliz. Deixei-me levar pela ilusão, ou não, de que provoco algum sentimento nas mulheres. Uma certa irresistibilidade e isso sabe bem. Alimenta-nos uma parte de nós tão difícil de contentar. Um momento bom, para recordar com um sorriso nos lábios.

3 comentários:

  1. Uau! Isso parece uma cena saída de um filme :) e daqueles bem romanticos, não fosse a parte em q ela se oferece a ti, literalmente! Podia ter sido o toque, uma troca de olhares e deixar assim, até q numa próxima vez, coincidência ou não, voltassem a cruzar olhares e reconhecessem um no outro aquela sensação de taquicardia ou borboletas no estômago...
    Perfeito!
    Mas não... ela tinha q se dar assim... Parvalhona!!!!
    O lado positivo? O teu Ego ficou lá em cima :)
    Mas aposto q, por aquilo q leio de ti, não foi a primeira nem sera a última vez q sabes q provocas algo... e essa irresistibilidade é algo natural em ti...lê-se!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É,... mas a cena não me pareceu nada romântica. Teve mais de carnal ou de negócio, não percebi bem. :)

      Eliminar
    2. Bem, seja lá como for ou o q for, mexeu contigo :) e como tu próprio dizes, "um momento bom, para recordar com um sorriso nos lábios"... alimentou-te um pouco!
      E isso de carnal, nem sempre é mau... sejamos honestos... quantas vezes nos passam pela cabeça cenários puramente carnais...
      Aposto q não vais resistir, de uma próxima vez q fores a esse mesmo sítio, a dar uma olhadinha à volta ;)

      Eliminar

Encontros fortuitos

"Eu vi, Quando você me viu,  Seus olhos pousaram nos meus, Num arrepio sutil" Cupido Maria Rita Compositor: Claudio Lins ...