segunda-feira, janeiro 13, 2014

Nunca voltes a um lugar onde já foste feliz (parte II)

Sou um viajante e um explorador insaciável. Daqueles para quem o caminho é tão aliciante como o próprio destino. Não há chuva, não há fome nem cansaço. Gosto da aventura dos caminhos desconhecidos, dos cantos de paisagem recônditos e de encontrar nesses cantos memórias perdidas. Memórias em forma de pedras ou de histórias ditas ou lidas.

Durante muitos anos tive na minha companhia alguém tanto ou mais insaciável que eu. Mas desta vez, fui com uma outra pessoa que, apesar de ter gostado, não aguentava o meu ritmo. Desconfortável, exigia longas pausas de almoço, em dias que agora no inverno, são demasiado curtos. Uma pessoa que se interessava por pouco mais do que aquilo que via, alguém para quem o hotel, era mais importante que tudo o resto.

E perguntam-me, e isso estragou as tuas férias?

Não, não foi assim tão dramático. Ainda por cima, existiram (existem) outras compensações. O problema foi só o facto de eu ter nos locais que visitava, demasiados pontos de contacto com outras memórias, que inevitavelmente me faziam estar constantemente em comparação.


Sou eu, se assim quiser, que tenho que me adaptar-me às diferentes realidades.  Não tenho nem devo exigir mais do que isso. A escolha foi minha, e se quero ser feliz "aqui", tenho que saber encontrar o lado positivo, o lado bom da nova vida.

7 comentários:

  1. Quando o passado, por melhor (ou pior) que tenha sido, está completamente resolvido, podemos voltar com outras pessoas a todos os lugares em que fomos felizes, que vamos voltar a ser felizes ainda que descobrindo outras formas de o ser. As comparações só se fazem quando há algo que não está realmente resolvido. Não será esse o caso?

    ResponderEliminar
  2. Não Mariana. O meu passado está muito bem resolvido. Essa é uma das poucas certezas que tenho. Uma das dúvidas que tenho é saber como resolvo o presente. :)

    ResponderEliminar
  3. É o presente que não está resolvido, mas você já sabe disso. Pelo que esperas afinal ?

    ResponderEliminar
  4. Waterfall, deixei um recado p/ vc la no meu blog, depois, se possível, vá lá ver ;)

    ResponderEliminar
  5. Eh...Eh..O lado bom da vida anda sempre mascarado pelas nossas angústias diárias que veem nos assombrar até mesmo nas férias...
    E esse presente? Acho que você já resolveu, vai buscar felicidade, não?

    ResponderEliminar

A minha laranja

Imaginemos que eu sou como uma laranja, constituído por gomos muito juntinhos dentro de uma casca. Cada um dos gomos representa um estado...