sexta-feira, abril 23, 2010

Desejos, sonhos, realidades e ficção

Tenho saudades dos dias em que parávamos pelo caminho para beber uma cervejinha ao fim da tarde. Tenho saudades de conversar contigo, sobre nós, sobre os nossos desejos e sonhos. De nos olharmos nos olhos e de nos resistirmos. Resistência volátil, á medida que a cerveja se esvaziava nos copos. Saudades de te ter por perto.

Tenho saudades daqueles dias quentes, das roupas leves, de te desejar. Saudade de te ver morder os lábios e resistir, saudades de descer pelo teu pescoço até aos botões da tua blusa e de te resistir. Resistia porque resistir aumentava a temperatura do desejo e eu tinha a certeza que um dia o fogo chegava a consumir-se.

Tenho saudades de tudo aquilo que nunca chegou a passar de um sonho…
(A Primavera dá sempre nisto...) :)

4 comentários:

  1. A sinceridade é uma das qualidades que mais aprecio... mesmo quando fere e nos parte o coração.

    Tenho uma novidade... estou de bebé. Não sei se tomei a decisão certa... Sinto-me presa, mas também não quero fugir. Tenho tantas dúvidas!!

    Beijinhos e bfs!

    ResponderEliminar
  2. Sei bem o que é sentir saudades do que não vivemos, ainda!
    beijo, bom fds.

    ResponderEliminar
  3. Claro que tomaste a decisão certa!!! Presa a quê? Fugir de quem?? Parabéns!!!
    E olha que podes contar com um Tio adicional. Virtual, mas Tio na mesma.:)
    Boa sorte!

    ResponderEliminar
  4. Gostei...
    Saudades de coias boas é bom
    de sentir...

    ResponderEliminar

A minha laranja

Imaginemos que eu sou como uma laranja, constituído por gomos muito juntinhos dentro de uma casca. Cada um dos gomos representa um estado...