segunda-feira, julho 19, 2010

E por falar nisso...

... roubei isto daqui:

"O que a maioria das pessoas chama de amor são formas neuróticas encontradas para não ficarem sozinhas e costumam estar vinculadas a uma série de condições, caracterizando um jogo nem um pouco saudável. (...) Amor, de verdade, precisa ser incondicional. O amor incondicional liberta ao invés de aprisionar, faz crescer ao invés de conter, expande ao invés de comprimir".

Lair Ribeiro, psiquiatra.

2 comentários:

  1. É isso ai, vamos expandir essa "mentira" sobre o amor, para buscarmos o amor de verdade!

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. O amor incondicional não existe, quanto a mim. Acho algo impossível de encontrar ou conseguir. A nossa condição humana condiciona tudo, até o amor.
    Também não acredito que o amor incondicional (caso alguém o sinta) liberta, antes pelo contrário, acho que aprisiona. Nunca se pode entregar tudo de nós sob pena de ficarmos vazios.
    O amor incondicinal é uma treta em que só acreditam os tolos, ou então os muito ingénuos. Há sempre contrapartidas em tudo nesta vida. Em tudo, até no amor.

    ResponderEliminar

A minha laranja

Imaginemos que eu sou como uma laranja, constituído por gomos muito juntinhos dentro de uma casca. Cada um dos gomos representa um estado...