sexta-feira, outubro 07, 2011

Partilhas

Escrevi há uns dias que eu tinha, ou melhor, acho que tenho, nesta fase da minha vida, a capacidade de me deixar partilhar em vez de trair.

A frase é um bocado enganadora, porque o que de facto o que eu queria dizer era que, aquilo que para a minha mulher seria uma traição da minha parte, para mim não passaria de uma aventura, que me alimentaria o ego e me faria por isso, um homem mais feliz e melhor para todos, inclusivamente para a minha mulher. Chamei-lhe partilha de mim próprio, porque acho que era capaz de não subtrair nada na minha relação e podia acrescentar algo a outra. Acredito até, que através da segunda poderia melhorar a primeira.

Mas compreendo que isto seja difícil de compreender para a maior parte das pessoas, mas para mim, hoje, nas condições actuais, parece fazer sentido.

5 comentários:

  1. Satisfeita a minha curiosidade... E sim realmente não é facil a todas as pessoas compreenderem tal facto...acho que entende quem já o sentiu...quem já o viveu.
    Compreendi Perfeitamente!!

    ResponderEliminar
  2. Eu até o compreendo. Mas me colocando no lugar de sua mulher, não sei se a compreensão bastaria. Acho que concordar é uma coisa totalmente diferente.

    A verdade é que ao longo da vida de casado desconfio que essa 'partilha' acontece mais vezes do que imaginamos. E com os dois (casal)...

    Um beijo

    ResponderEliminar
  3. Parece-me muito no domínio do ideal...estando do outro lado, a conhecer alguém que se partilhava também com outro, seria o mesmo?

    ResponderEliminar

A minha laranja

Imaginemos que eu sou como uma laranja, constituído por gomos muito juntinhos dentro de uma casca. Cada um dos gomos representa um estado...