sexta-feira, novembro 07, 2014

Delírios do areal III

Existem dois tipos de distracções na praia. Um são as meninas, geralmente muito novas, cuja beleza é um regalo para  a vista. Uma paisagem que não cansa. Um quadro a três dimensões de uma encantadora fixação, principalmente porque essas moças, vestem normalmente, peças de banho reduzidas o que só aumenta a sensualidade, característica que tanto admiro em qualquer obra de arte. Estas moças nunca estão numa praia sozinhas. Ou estão com um namorado, ou com uma amiga, ou com um grupo de amigos. São, neste aspecto, a antítese do segundo tipo de distracção.

Falo das moças, geralmente mais próximas da minha idade, mais maduras, que estão na praia sozinhas, como eu próprio estou agora.

O desafio constante da mente imaginando uma forma de meter conversa, a indecisão sobre se devo ou não fazê-lo e as histórias que tento adivinhar sobre as suas vidas e sobre a sua personalidade, entretém-me durante algum tempo. 

Aqui na praia, nestes dias tenho visto duas. Uma que vem de manhã e outra que vem da parte da tarde. Mas como sempre, irei para casa sem trocar uma palavra com ninguém...

5 de Setembro de 2014

Sem comentários:

Enviar um comentário

A minha laranja

Imaginemos que eu sou como uma laranja, constituído por gomos muito juntinhos dentro de uma casca. Cada um dos gomos representa um estado...