quinta-feira, janeiro 21, 2016

Um dia terei a certeza

No verão passado aconteceu-me uma das melhores coisas que me podiam ter acontecido. Foi um cumprir de um sonho, ou melhor, de vários. Foi a realização de uma em várias fantasias.

Encoberta numa capa de normalidade, e até de algum pudor, estava, ali na praia, aquela que viria a ser a mulher mais reveladora que alguma vez eu conheci e que, nem sequer pensava já vir a conhecer, nesta minha vida pacata.

Foi de tal forma intenso e revelador, que apesar de tudo ter terminado há já quase dois meses, durante todo este tempo, fui incapaz de escrever qualquer coisa que fosse sobre o que se passou. Ainda não sei se serei capaz hoje.

Infelizmente, a vida é um caminho cheio de escolhas. Escolhas essas, que muitas vezes nos obrigam a tomar decisões entre dois opostos, simplesmente porque o meio-termo não existe ou não está ao nosso alcance. E neste meu caso, a parte íntima era fenomenal, mas apesar disso (e de outras coisas boas),infelizmente não me apaixonei. Faltou qualquer coisa. Talvez mais do que uma simples “coisa”.  Não sei.

De tal forma que, a certa altura, escolhi seguir um caminho sem ela. Sozinho. À procura da minha ansiada e arrebatadora paixão. Mas pouco tempo depois, ela escolheu vir atrás de mim, assumindo todos os riscos que pudessem advir de uma situação destas. Acho que confiava bastante nas suas qualidades e talvez nas minhas fragilidades. Mas apesar de continuar a ser muito bom, não era suficiente. E como eu costumo dizer, eu estava em modo “Still looking” e de repente apareceu uma outra mulher que me pareceu a “tal” e tudo terminou.

Tive sempre noção, que apesar da falta de paixão, aquela mulher nunca se afastaria da minha memória. As coisas incríveis que vivi nunca me abandonariam e provavelmente, muitas vezes, me iria arrepender de a ter deixado. De a ter trocado. De ter achado que haveria algo melhor que amor físico e que as nossas partilhas intimas. Ainda hoje não sei se fiz bem ou se fiz mal. Mas uma coisa é certa, já senti falta, já me arrependi e já deixei de me arrepender. Outra é quase certa. Um dia vou ter essa certeza, se escolhi ou não o caminho  certo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Encontros fortuitos

"Eu vi, Quando você me viu,  Seus olhos pousaram nos meus, Num arrepio sutil" Cupido Maria Rita Compositor: Claudio Lins ...