sexta-feira, dezembro 17, 2010

Grande Amor



Noutros tempos conheci uma moça (ainda a conheço) que era muito bonita e irradiava simpatia e boa disposição por todos os poros. Amiga dos seus amigos parecia uma jovenzinha mulher perfeita. No entanto, raramente tinha namorados e quando tinha pouco tempo duravam. A sua Mãe chegou a desabafar comigo, preocupada com a situação. Mãe atenta e vivida já tinha diagnosticado o problema. Para além de todos as virtudes que descrevi era (ainda é) uma pessoa de personalidade forte. Gosta de liderar e não dá o braço a torcer. Por isso os namorados ou lhe pegavam no braço para torcer e ela não os tolerava ou pelo contrário davam-lhe um bracinho para ela torcer à vontade e ela acabava por os achar uns “bananas”. Chegou-se a pensar que nunca encontraria um homem de meio termo. Mas a vida tem coisas incríveis e por estranho que pareça “há sempre um homem, para o coração de uma mulher”. E ela encontrou-o. Vivem hoje em equilíbrio.



O Grande Amor

João Gilberto

Composição: Tom Jobim/Vinícius de Moraes

Haja o que houver,
Há sempre um homem, para uma
mulher

E há de sempre haver para esquecer, um falso amor e uma vontade
de morrer.
Seja comofor há de vencer o grande amor, que há de
ser no coração,
como perdão pra quem chorou.

2 comentários:

  1. Sempre existe alguém, a espera de outro alguém...

    trecho de uma das músicas mais melosas e lindas que já ouvi, mesmo sem gostar de músicas melosas, rsrs.

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. música maravilhosa!...frio gélido lá fora,a lareira acesa, um sofá, um bom livro e meia luz...que bom momento...thanks:)

    ResponderEliminar

Encontros fortuitos

"Eu vi, Quando você me viu,  Seus olhos pousaram nos meus, Num arrepio sutil" Cupido Maria Rita Compositor: Claudio Lins ...