segunda-feira, novembro 14, 2011

Um post sobre nada, ou sobre tudo

Não tenho muitas coisas de que me possa orgulhar, mas orgulho-me muito do meu blogue. Ás vezes dou uma vista de olhos pelos textos antigos e acabo quase sempre surpreendido pelo que escrevi. Pela positiva. Revejo-me em quase tudo, o que é bom. Até hoje não me arrependi de nada que tivesse escrito, e nunca tive portanto, o impulso de apagar nada.

É certo que não tenho muitos leitores, ou seguidores, mas também não ando por aí a espalhar o meu link, não leio muitos blogues (porque também não tenho assim tanto tempo livre), e comento ainda menos. De qualquer forma não considero isso demasiado importante. Claro que gosto de ter algum feedback daquilo que escrevo, mas aquilo que me move é o desabafo, puro e simples, sem preconceitos ou medos de ofender ou magoar as pessoas que conheço. Por isso a minha nuvem flutua no ciberespaço mais ou menos incógnita, tentando não dar muito nas vistas, assim como eu próprio na minha atitude.

7 comentários:

  1. Sao poucos mas bons...Pessoas que leem e gostam e ficam....

    Beijooooosssss

    ResponderEliminar
  2. Penso como você!
    E fico feliz do meu espaço estar entre os poucos onde você passa e comenta!

    Um beijo

    ResponderEliminar
  3. Bem, sendo assim, é melhor agradecer o facto de lá de quando em quando deixares rasto no meu blogue. ;)

    O teu blogue é muito bom, Waterfall, porque é franco aquilo que escreves.

    ResponderEliminar
  4. É bom darmos uma vista de olhos por textos antigos e mesmo que o sentimento que os originou não exista orgulhamos-nos de te-los escrito. Da mesma forma acho que é bom ver a nossa própria evolução ao longo do blog.
    Também não visito muitos e por isso não tenho grande movimento mas no fim de contas o que interessa mesmo é que gostamos do nosso registo e agradecemos (as vezes em silencio) a quem lá passa.
    Continua... ;)

    ResponderEliminar
  5. Eu tambem gosto muito de cá vir...

    ResponderEliminar

Who are you?

Ontem, depois de te ver na esplanada ao jantar, todas as minhas certezas "implodiram". A tua feminilidade, a tua beleza, a tua se...